sicnot

Perfil

País

Criada Unidade Nacional de Investigação da Criminalidade Informática da PJ

A Polícia Judiciária (PJ) vai passar a dispor de mais uma unidade nacional - a Unidade Nacional de Investigação da Criminalidade Informática -, segundo a alteração à sua lei orgânica, publicada hoje em Diário da República.

© Kacper Pempel / Reuters


A Unidade Nacional de Investigação da Criminalidade Informática é estabelecida com a alteração do 28.º artigo da lei orgânica da PJ (Lei n.º 37/2008), publicada na I série do Diário da República de hoje.

A alteração à lei entra em vigor 30 dias após a publicação.

A Polícia Judiciária passa, assim, a contar com quatro unidades nacionais - a Unidade Nacional Contra-Terrorismo, a Unidade Nacional de Combate à Corrupção, a Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes e a Unidade Nacional de Investigação da Criminalidade Informática -, a partir de 23 de setembro.

A PJ possui, entre as suas unidades de apoio à investigação, uma Unidade de Telecomunicações e Informática.

Lusa

  • 105 detidos pela PSP e GNR nas últimas 24 horas

    País

    Só a GNR deteve 64 pessoas em flagrante delito, entre a noite de sexta-feira e o início da manhã deste sábado, a maioria das quais (47) por condução sob o efeito do álcool. A PSP de Lisboa efetuou 41 detenções em 24 horas, dez por tráfico de droga.

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.