sicnot

Perfil

País

Homem morre afogado em praia não vigiada da zona do Pedrógão em Leiria

Um homem de 70 anos morreu hoje afogado numa praia não vigiada da zona do Pedrógão, no concelho de Leiria, disse à agência Lusa o comandante do porto da Figueira da Foz, Paulo Inácio.

Segundo Paulo Inácio, "a norte do Casal Ventoso, no Pedrógão, um homem de 70 anos foi encontrado inanimado por outros banhistas, tendo sido assistido por nadadores-salvadores e, posteriormente, com a chegada do INEM foi declarado o óbito".

Os nadadores salvadores encontravam-se na praia do Pedrógão e acorreram de imediato, fazendo manobras de reanimação, referiu.

"Há infelizmente mais uma vítima mortal a lamentar numa zona não vigiada", afirmou o comandante, que recomenda e sensibiliza os banhistas "para que optem por praias vigiadas", pois situações como a de hoje "podem ter um desfecho diferente".

A vítima é da zona do Pedrógão, adiantou Paulo Inácio, explicando que na área de jurisdição da Capitania da Figueira da Foz esta é a primeira vítima mortal na presente época balnear.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Leiria adiantou que o alerta para o afogamento ocorreu cerca das 17:45, tendo acorrido, além do INEM, os bombeiros Municipais e Voluntários de Leiria, e a Capitania do Porto de Peniche, com um total de quatro veículos e nove operacionais.

Lusa

  • Obras no Miradouro de São de Pedro de Alcântara não foram a concurso
    2:50

    País

    As obras no Miradouro de São Pedro de Alcântara, em Lisboa, arrancaram esta segunda-feira. A intervenção foi adjudicada à construtora Teixeira Duarte sem concurso público. A autarquia justifica esta decisão com o caráter urgente da obra, argumento que não consta do relatório do Laboratório Nacional de Engenheria Civil, a que a SIC teve acesso.

  • Rajadas de vento em Moscovo atingem os 110 km/hora
    0:57

    Mundo

    A passagem de uma tempestade por Moscovo fez pelo menos 11 mortos e mais de 50 feridos. Os ventos fortes, que chegaram aos 110 km/hora, destruíram carros e telhados e provocaram atrasos nos transportes. Na região de Stavropol, mais de 60 mil pessoas foram retiradas de casa por perigo de cheias.