sicnot

Perfil

País

Polícia Marítima recupera aeronave que caiu perto da Trafaria

A Autoridade Marítima Nacional (AMN) comunicou hoje que recuperou, na terça-feira, a aeronave que caiu no passado domingo no rio Tejo, perto de Trafaria, no concelho de Almada, Setúbal, e que feriu os dois ocupantes.

Os dois homens ocupantes da aeronave, resgatados da água e assistidos no local, sofreram ferimentos leves e foram, posteriormente, transportados para o Hospital Garcia de Orta, em Almada. (Arquivo)

Os dois homens ocupantes da aeronave, resgatados da água e assistidos no local, sofreram ferimentos leves e foram, posteriormente, transportados para o Hospital Garcia de Orta, em Almada. (Arquivo)

SIC

Em comunicado, a AMN revela que a Capitania do Porto e o comando local da Polícia Marítima de Lisboa concluíram "com sucesso" a recuperação da aeronave, que submergiu numa zona de forte influência de correntes de maré.

"A localização da aeronave submersa só foi possível pelas buscas desenvolvidas pelo Instituto Hidrográfico, através de meios sofisticados a bordo de duas embarcações, que revelaram a sua localização a 25 metros de profundidade e a cerca de mil metros do local do acidente", descreve a Autoridade.

A aeronave, acrescenta, foi recuperada com o apoio dos meios da Administração do Porto de Lisboa e supervisão do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e foi entregue ao proprietário pelas 22:15 de terça-feira.

Os dois homens ocupantes da aeronave, resgatados da água e assistidos no local, sofreram ferimentos leves e foram, posteriormente, transportados para o Hospital Garcia de Orta, em Almada.

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18