sicnot

Perfil

País

Polícia Marítima recupera aeronave que caiu perto da Trafaria

A Autoridade Marítima Nacional (AMN) comunicou hoje que recuperou, na terça-feira, a aeronave que caiu no passado domingo no rio Tejo, perto de Trafaria, no concelho de Almada, Setúbal, e que feriu os dois ocupantes.

Os dois homens ocupantes da aeronave, resgatados da água e assistidos no local, sofreram ferimentos leves e foram, posteriormente, transportados para o Hospital Garcia de Orta, em Almada. (Arquivo)

Os dois homens ocupantes da aeronave, resgatados da água e assistidos no local, sofreram ferimentos leves e foram, posteriormente, transportados para o Hospital Garcia de Orta, em Almada. (Arquivo)

SIC

Em comunicado, a AMN revela que a Capitania do Porto e o comando local da Polícia Marítima de Lisboa concluíram "com sucesso" a recuperação da aeronave, que submergiu numa zona de forte influência de correntes de maré.

"A localização da aeronave submersa só foi possível pelas buscas desenvolvidas pelo Instituto Hidrográfico, através de meios sofisticados a bordo de duas embarcações, que revelaram a sua localização a 25 metros de profundidade e a cerca de mil metros do local do acidente", descreve a Autoridade.

A aeronave, acrescenta, foi recuperada com o apoio dos meios da Administração do Porto de Lisboa e supervisão do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e foi entregue ao proprietário pelas 22:15 de terça-feira.

Os dois homens ocupantes da aeronave, resgatados da água e assistidos no local, sofreram ferimentos leves e foram, posteriormente, transportados para o Hospital Garcia de Orta, em Almada.

Lusa

  • Atacantes de Barcelona "não estão a caminho da nossa fronteira"
    7:00

    Ataque em Barcelona

    O diretor da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária esteve esta sexta-feira, no Jornal da Noite, para falar sobre o duplo atentado em Espanha. Luís Neves diz que o nível de ameaça em Portugal, perante os ataques, não foi alterado porque "não se detectou que tenha existido informação que possa colocar o nosso território em perigo". O diretor conta que a unidade esteve em contacto com as autoridades em Espanha, não só durante os ataques, como também depois, e disse que os atacantes não estarão a caminho da fronteira com Portugal.