sicnot

Perfil

País

Quase 80% das famílias portuguesas têm serviços de telecomunicações em casa

Quase 80 por cento das famílias portuguesas já tinha serviços de telecomunicações em casa até ao final do mês de julho, de acordo com a ANACOM.

A entidade que regula o setor revela que, até ao final de junho, os pacotes que agregam televisão, internet, telefone e telemóveis foram os que mais cresceram no número de novos contratos. (Arquivo)

A entidade que regula o setor revela que, até ao final de junho, os pacotes que agregam televisão, internet, telefone e telemóveis foram os que mais cresceram no número de novos contratos. (Arquivo)

SIC

No final do segundo trimestre do ano existiam mais de três milhões de portugueses com contratos de serviços de telecomunicações.

A entidade que regula o setor revela que, até ao final de junho, os pacotes que agregam televisão, internet, telefone e telemóveis foram os que mais cresceram no número de novos contratos.

  • Rui Vitória não espera facilidades frente ao Tondela
    1:34

    Desporto

    O líder do campeonato, o Benfica, recebe este domingo o último classificado, o Tondela. Na conferência de antevisão do encontro, Rui Vitória afirmou que não espera facilidades. O treinador do Benfica falou ainda de Sebastian Coates.

  • O primeiro dia de Donald Trump na Casa Branca
    3:05
  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.