sicnot

Perfil

País

Assunção Cristas sente que cumpriu missão de resolver problema da Casa do Douro

A ministra da Agricultura, Assunção Cristas, afirmou hoje que acaba esta legislatura de consciência tranquila e sentido de missão cumprida por este Governo ter resolvido o problema da Casa do Douro (CD) que já tinha décadas.

Assunção Cistas (Lusa)

Assunção Cistas (Lusa)

LUSA

"Este Governo resolveu o problema da CD, que era um problema que tinha décadas e que, na prática, estava a prejudicar os viticultores durienses, que há muito tempo não tinham maneira de fazer ouvir a sua voz de forma vigorosa, defendendo os seus interesses", disse à agência Lusa.

A CD, com sede no Peso da Régua, foi extinta enquanto associação de direito público a 31 de dezembro de 2014, e no final de maio o Ministério da Agricultura anunciou a escolha da Federação Renovação do Douro como a associação de direito privado e inscrição voluntária que sucede à organização duriense.

"Houve uma reforma muito profunda naquilo que é a organização. Foi um processo que demorou muito tempo, que implicou oito grupos de trabalho, com vários ministérios envolvidos, com produção de legislação, com muito trabalho político, mas eu creio que a solução é boa", frisou.

Criada em 1932, a CD viveu durante anos asfixiada em problemas financeiros e possui uma dívida ao Estado na ordem dos 160 milhões de euros.

O Governo vai agora nomear um administrador liquidatário que irá proceder à regularização das dívidas da extinta CD.

Assunção Cristas disse que o nome do administrador, que terá um "perfil técnico", será anunciado em breve.

"É um administrador liquidatário, tem uma missão muito específica que é resolver a questão da dívida e que demorará tempo, terá de ir traduzindo um determinado património por dinheiro que passará a ser alocado a abater a dívida ao Estado", frisou.

A ministra acrescentou que este processo "durará tempo, decorrerá com tranquilidade no âmbito técnico, de forma que não perturbe em nada aquilo que é o trabalho do Douro e da produção do vinho".

A partir da nomeação do administrador, que será feita através de uma portaria conjunta entre os ministérios da Agricultura e das Finanças, os membros dos órgãos da extinta associação pública ficam com um prazo de "sete dias" para entregar ao administrador "todos os bens, valores monetários e documentos, nomeadamente os de prestação de contas à data de 31 de dezembro, bem como os livros, documentos e demais informação contabilística da associação e o inventário dos respetivos bens e direitos".

A direção da CD pública ficará privada de "quaisquer poderes, bem como de conservar e ocupar os bens móveis e imóveis".

Estes poderes e funções passam a constituir obrigação do administrador, o qual deverá proceder à determinação do ativo, cobrar créditos e alienar bens e direitos, com exceção da alienação dos vinhos, que deve ser objeto de autorização prévia dos membros do Governo responsáveis pelas áreas das Finanças e Agricultura.

A direção cessante da extinta Casa do Douro já anunciou que interpôs uma providência cautelar para travar a nomeação, por parte do Governo, deste administrador, por considerar que qualquer resolução sobre a CD terá que ser aprovada pela Assembleia da República.

"Está tudo feito de acordo com a lei, nós temos tranquilidade em relação a esta matéria", salientou Assunção Cristas.

A ministra afirmou estar de "consciência tranquila" e com "sentido de missão cumprida".

"Foi um processo difícil porque se trata de uma transformação profunda de algo que era um problema no Douro há muitos e muitos anos, que era o problema da dívida e da dificuldade de representação sustentada, sólida e consequente da viticultura duriense", frisou.

Lusa

  • Rúben Lima nega crimes de corrupção no processo Cashball
    6:04

    Desporto

    Rúben Lima, um dos 8 jogadores suspeitos de terem sido aliciados por intermediários ao serviço do Sporting para beneficiar o clube de Alvalade, nega todos os crimes investigados pela Polícia Judiciária. Numa entrevista exclusiva à SIC, o jogador do Moreirense garante que não conhece nenhum dos quatro arguidos detidos no âmbito do processo Cashball.

    Exclusivo SIC

  • Partido Podemos com votação inédita em Espanha
    1:32

    Mundo

    Há uma votação inédita em Espanha. O Podemos começou esta terça-feira a decidir a continuidade do líder do partido, depois de Pablo Iglesias e a companheira terem comprado uma casa de 600 mil euros.

  • Rui Rio alerta que violações do segredo de justiça ameaçam democracia
    2:16

    País

    Rui Rio diz que não pede demissões "a cada esquina" e prefere aguardar pelas respostas do ministro Adjunto Siza Vieira, sobre o alegado conflito de interesses com os acionistas chineses da EDP. O líder do PSD esteve esta terça-feira reunido com a direção nacional da Polícia Judiciária, onde defendeu que a violação do segredo de justiça é insustentável e ameaça o regime democrático.

  • Reclusos limpam Ria Formosa
    3:01

    País

    Alguns reclusos do estabelecimento prisional de Olhão estão pela segunda vez a limpar a ilha da Armona, na Ria Formosa. São homens que beneficiam de regime aberto e, em fim de cumprimento de pena, têm com este trabalho uma amostra da liberdade que tanto aguardam.

  • A maior obra de reconversão urbana em Portugal 20 anos depois
    3:47