sicnot

Perfil

País

Interrogatório a Miguel Macedo interrompido e sem data de reinício

O interrogatório judicial ao ex-ministro Miguel Macedo, no âmbito do inquérito à atribuição de Vistos Gold, foi interrompido e vai ser retomado em data a designar, anunciou a Procuradoria-Geral da República (PGR).

Lusa

O ex-ministro da Administração Interna começou a ser ouvido hoje, na qualidade de arguido, estando "indiciado por factos suscetíveis de integrarem os crimes de prevaricação e de tráfico de influência", conforme nota da PGR.

Miguel Macedo saiu às 21:03 das instalações do Ministério Público na rua Vale do Pereiro, em Lisboa.

O inquérito está s ser conduzido pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal.

Em 02 de julho, a PGR esclareceu que o ex-ministro da Administração Interna seria constituído arguido, quando fosse ouvido no âmbito do processo dos vistos 'gold'.

O esclarecimento do gabinete de imprensa da PGR foi dado no mesmo dia em que a Comissão Parlamentar para a Ética, a Cidadania e a Comunicação decidiu levantar a imunidade ao deputado social-democrata Miguel Macedo, ex-ministro da Administração Interna, para que seja ouvido como arguido no caso dos vistos dourados ('gold').

A Operação Labirinto, que envolveu buscas e 11 detenções, a 18 de novembro de 2014, está relacionada com a aquisição de vistos 'gold' e investiga indícios de corrupção ativa e passiva, recebimento indevido de vantagem, prevaricação, peculato de uso, abuso de poder e tráfico de influência.

O caso envolve o antigo diretor do Instituto dos Registos e Notariado António Figueiredo, a ex-secretária-geral do Ministério da Justiça Maria Antónia Anes, o ex-diretor do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) Jarmela Palos, Jaime Gomes, sócio-gerente da empresa JMF Projects and Business, os funcionários do IRN Paulo Eliseu, Paulo Vieira, José Manuel Gonçalves e Abílio Silva, entre outros.

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06

    País

    A SIC teve acesso a comunicações entre operacionais que estavam no terreno a combater os incêndios no distrito de Viseu. Nestes registos áudio, é percetível a falta de meios no terreno ou até mesmo estradas que não foram cortadas porque não havia elementos da GNR disponíveis.

  • "Quem está no Governo tem sérias responsabilidades"
    1:07

    Opinião

    Pacheco Pereira aponta falhas do Estado, dos bombeiros e da Proteção Civil como causa dos incêndios que assolaram o país no passado domingo. O comentador da SIC considera que o Governo tem responsabilidade perante o que aconteceu.

  • Presidente das Indústrias de Madeira diz que fogos estão a afetar o setor
    0:39

    País

    A Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário desvaloriza que os industriais do setor possam comprar madeira mais barata, em resultado dos incêndios florestais. Em entrevista na SIC Notícias, o presidente da associação, Vítor Poças, considera que os fogos estão a prejudicar gravemente a indústria.

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47