sicnot

Perfil

País

Uber assegura que cumpre a lei e paga impostos

A empresa que utiliza a aplicação eletrónica Uber defendeu hoje que cumpre "inteiramente a legislação em vigor" e assegura que funciona com "parceiros licenciados" que pagam impostos.

© Sergio Perez / Reuters

No dia em que centenas de táxis saíram à rua em marchas lentas realizadas em Lisboa, Porto e Faro, em protesto contra o transporte de passageiros por condutores ligados à aplicação eletrónica Uber, fonte da empresa salienta ainda estarem "abertos à discussão com todas as entidades públicas e privadas".

"Em Portugal, a Uber opera inteiramente de acordo com a legislação em vigor, com parceiros licenciados que pagam impostos em cada viagem realizada na plataforma", refere a empresa, numa nota enviada à agência Lusa, salientando que "a tecnologia é também uma ferramenta importante para modernizar e melhorar o sector da mobilidade como um todo".

Centenas de taxistas protestaram hoje de manhã em Lisboa, Porto e Faro contra a Uber, para "alertar para os efeitos da violação da lei, do não-acatamento de decisões judiciais, constituindo neste caso crime".

Lusa

  • Mais de 150 táxis protestam contra Uber em Faro

    País

    Mais de centena e meia de taxistas participaram hoje, em Faro, no protesto que a Associação Nacional dos Transportes Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) convocou contra o transporte de passageiros por veículos disponibilizados através da plataforma eletrónica Uber.

  • Mais de mil taxistas em protesto
    4:05

    País

    Mais de mil taxistas saíram esta manhã em protesto em Lisboa, Porto e Faro, numa marcha lenta contra a Uber, um sistema que permite chamar um carro particular através de um telemóvel. Os profissionais queixam-se de que a lei não está a ser cumprida e acusam ainda esta plataforma de concorrência desleal. Apesar dos apelos à calma, em Lisboa viveram-se alguns momentos de tensão.

  • Hoje é notícia

    País

    O Governo apresenta hoje, em Lisboa, o pacote legislativo da Nova Geração de Políticas de Habitação, em que se destacam quatro novos instrumentos para responder às carências habitacionais e para promover o arrendamento acessível e a coesão territorial.