sicnot

Perfil

País

Uber reage aos protestos dos taxistas

Enquanto os taxistas ocuparam as ruas em Lisboa, a UBER respondeu via internet aos protestos. Publicou vários vídeos com mais de 700 testemunhos de pessoas que utilizam o serviço.

(arquivo)

(arquivo)

MARIO CRUZ; M\303\201RIO CRUZ

A Uber repete que está aberta ao diálogo e ao entendimento com os operadores do setor, nomeadamente com os taxistas. Em comunicado, a empresa diz que respeita as manifestações, mas espera que decorram de forma pacífica.

A Uber garante novamente que trabalha em Portugal de acordo com a lei e que todos os parceiros pagam impostos em cada viagem realizada na plataforma. Hoje, no dia do protesto dos taxistas, a Uber chegou à liderança do top português das aplicações gratuitas da appstore da Apple.

  • ANTRAL promete mais protestos até serem cumpridas decisões dos tribunais
    0:41

    País

    Por hoje terminou o protesto dos taxistas contra o transporte de passageiros pela empresa que utiliza a aplicação Uber. Durante toda a manhã e parte da tarde, centenas de táxis desfilaram pelas ruas de Lisboa, Porto e Faro. O presidente da ANTRAL diz que as manifestações só vão parar quando forem cumpridas as decisões dos tribunais. Caso contrário, a associação que defende os interesses dos taxistas ameaça levar os protestos para as eleições.

  • Mais de 150 táxis protestam contra Uber em Faro

    País

    Mais de centena e meia de taxistas participaram hoje, em Faro, no protesto que a Associação Nacional dos Transportes Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) convocou contra o transporte de passageiros por veículos disponibilizados através da plataforma eletrónica Uber.

  • Mais de mil taxistas em protesto
    4:05

    País

    Mais de mil taxistas saíram esta manhã em protesto em Lisboa, Porto e Faro, numa marcha lenta contra a Uber, um sistema que permite chamar um carro particular através de um telemóvel. Os profissionais queixam-se de que a lei não está a ser cumprida e acusam ainda esta plataforma de concorrência desleal. Apesar dos apelos à calma, em Lisboa viveram-se alguns momentos de tensão.