sicnot

Perfil

País

Fogo em Tondela dominado

Fogo em Tondela dominado

Já está dominado o incêndio de grandes proporções que deflagrou numa fábrica de Tondela, no concelho de Viseu. Cerca de 200 operacionais estiveram no terreno no combate a este fogo que deflagrou numa empresa de reciclagem, na zona industrial de Lajedo.

O incêndio numa empresa de reciclagem de resíduos de equipamento elétrico e eletrónico no concelho de Tondela foi hoje dominado, pelas 04:45, com 70 a 80 efetivos ainda no local para operações de rescaldo, segundo fonte dos bombeiros.

"Já iniciámos as operações de rescaldo, que vão continuar nas próximas horas", disse à Lusa o 2º comandante de operações distrital de Viseu, Rui Nogueira.

O incêndio esteve a consumir, desde as 15:00 de quinta-feira, o plástico e outros resíduos guardados no parque da Interecycling, uma empresa localizada na Zona Industrial do Lajedo, em Santiago de Besteiros, no concelho de Tondela.

Apesar de ainda se registar alguma combustão de gases nocivos, esta decorre agora "com muito menor intensidade", já que o fogo está reduzido a "um foco muito pequeno que não oferece risco nenhum", explica Rui Nogueira.

O incêndio causou um ferido ligeiro, um trabalhador da Interecycling, que foi transportado para o Hospital de Tondela.

A Interecycling foi fundada em 1999, sendo a primeira empresa de reciclagem de resíduos de equipamento elétrico e eletrónico (REEE) da Península Ibérica.

Com Lusa

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.