sicnot

Perfil

País

Ministro da Defesa classifica "momento histórico" inauguração da ala feminina no Colégio Militar

O ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, classificou hoje de "momento histórico" a inauguração do internato feminino no Colégio Militar, em Lisboa, sendo um momento que assinala "uma nova etapa" desta instituição de ensino.

Manuel Almeida

"Acho que é um momento que assinala uma nova realidade para o Colégio Militar, acabou-se um preconceito de discriminação de género que perdurou durante muitos anos, é uma nova etapa deste estabelecimento que vai garantir seguramente que no futuro haja mais oportunidades, quer para meninas, quer para meninos, num espírito são de convívio", disse aos jornalistas o ministro da Defesa.

Aguiar-Branco inaugurou hoje à tarde o edifício do internato feminino no Colégio Militar, investimento orçado em cerca de 1,8 milhões de euros, e que este ano letivo vai acolher 100 alunas.

O ministro adiantou que o Colégio Militar vai manter "os mesmos valores de sempre", que "estão muito para lá do mero interesse da defesa nacional ou da estrutura nacional, porque daqui nascem homens e mulheres que amanhã serão os dirigentes do país nas diversas áreas da sociedade civil".

Aguiar-Branco afirmou que "existe uma vontade renovada" em frequentar o Colégio Militar, destacando que "há um aumento relativamente ao início da reforma de cerca de 30 por cento".

"Muitas meninas a quererem preencher as vagas que estão disponíveis, significa que, quer do ponto de vista das instalações, que já foram criadas e já estão absolutamente preenchidas, quer da vontade de ter este tipo de formação diferente, mas com valor acrescentado pela parte que são os valores militares, é um sucesso", sustentou.

Aguiar-Branco disse ainda que "mais difícil do que construir o edifício foi acabar com os preconceitos".

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Defesa, os dois estabelecimentos de ensino militar têm atualmente 965 alunos, dos quais 704 frequentam o Colégio Militar e 261 o Instituto dos Pupilos do Exército.

Em 2011, o número de alunos a frequentar os dois estabelecimentos de ensino era de 752.

Dos 704 alunos do Colégio Militar, 430 são rapazes e 274 são raparigas, estando em regime de internato 271 alunos e 100 alunas.

Lusa

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.