sicnot

Perfil

País

Papa reitera intenção de visitar Portugal em 2017

O Papa Francisco reiterou hoje a intenção de visitar Portugal em 2017, no centenário das aparições de Fátima, numa entrevista à Rádio Renascença em que afirma que o país é "privilegiado por ter o Santuário de Fátima".

© Max Rossi / Reuters

"Em Portugal só estive uma vez há muitos anos, a caminho de Roma, num avião que fez escala em Lisboa. Tenho vontade de ir a Portugal para o centenário, mas em 2017 também se cumprem os 300 anos do encontro da imagem da Virgem Aparecida, por isso também estou com vontade de lá ir e prometi lá ir", afirmou o Sumo Pontífice na entrevista hoje divulgada pela Rádio Renascença.

O Papa Francisco disse ser mais fácil deslocar-se a Portugal do que ao Brasil, justificando que se trada de um país onde se pode ir e voltar no mesmo dia "ou tirar um dia e meio ou dois para ir ter com a Virgem".

"A Virgem é mãe, é muito mãe e sua presença acompanha o povo de Deus. Por isso, gostaria de ir a Portugal, que é privilegiado", declarou.

Na entrevista, o Papa Francisco revelou duas preocupações para expôr aos bispos portugueses, relativamente aos jovens e à catequese.

"Os jovens são mais informais, têm o seu próprio ritmo, há que deixá-los crescer e acompanhá-los com prudência, saber escutá-los muito. Um jovem é inquieto, não quer que o incomodem. Por vezes não se entendem, estão a crescer, é preciso deixá-los crescer, acompanhá-los, respeitá-los e falar com eles muito paternalmente, é um desafio", disse.

Questionado sobre como os portugueses se podem preparar para a sua visita - o segundo Papa a visitar Portugal, depois de três viagens de João Paulo II -, Francisco respondeu: "rezando".

"O que a Virgem pede é que rezemos, cuidemos da família. Não pede coisas estranhas, pede que rezemos por aqueles que andam desorientados, pelos que se dizem pecadores. Todos o somos, eu sou o primeiro", afirmou.

No sábado passado, o bispo de Leiria-Fátima, António Marto, revelou à agência Ecclesia que o secretário de Estado do Vaticano vai presidir à peregrinação internacional aniversária de outubro de 2016 ao Santuário de Fátima para preparar a visita do Papa em maio do ano seguinte.

"Tínhamos feito o convite e ele ter-se-á aconselhado com o Papa, que lhe terá dito 'vais abrir o caminho, ele vai como precursor'", declarou António Marto, em Roma, no final da visita "ad limina".

Segundo António Marto, o cardeal Pietro Parolín, número dois da hierarquia da igreja católica, disse nunca ter visitado o santuário português.

A visita "ad limina" é aquela cada bispo diocesano deve fazer a Roma, de cinco em cinco anos, e durante a qual apresenta ao Papa o relatório sobre o estado da respetiva diocese e da igreja no seu país.

No encontro dos bispos portugueses com o Papa, na semana passada, Francisco expressou novamente a vontade de se deslocar a Fátima em 2017.

O centenário das 'aparições' de 1917 na Cova da Iria e a relevância do Santuário de Fátima foram temas que marcaram a visita "ad limina" que decorreu na semana passada, na qual vários prefeitos das congregações do Vaticano sublinharam a sua importância, acrescentou António Marto.

O Papa Francisco confirmou, no dia 25 de abril deste ano, ao bispo de Leiria-Fátima, que tenciona deslocar-se a Fátima em 2017, data em se assinala o centenário das 'aparições' na Cova da Iria, revelou a diocese portuguesa.

Numa informação enviada à agência Lusa naquela data, a diocese anunciou que, em audiência privada, em Roma, o Papa Francisco confirmou a António Marto que, "'se Deus [lhe] der vida e saúde', quer estar na Cova da Iria para celebrar o centenário das 'aparições' de Fátima".

"Depois de ter recebido já vários convites, é a primeira vez que Francisco afirmou de forma explícita o desejo de ir a Fátima, autorizando a divulgação pública da sua intenção", destacou a diocese.

Lusa

  • Crise dos refugiados é "a ponta do icebergue"
    3:20

    Crise Migratória na Europa

    O Papa afirmou hoje que a crise dos refugiados na Europa é "a ponta do icebergue", criada por "um sistema socioeconómico mau e injusto". Em entrevista à Rádio Renascença, em Roma, Francisco considerou que o problema está no foco da sociedade que deixou de ser a pessoa e passou a ser o dinheiro. "Estes refugiados fogem da guerra, da fome, mas essa é a ponta do icebergue. Por baixo está a causa e a causa é um sistema socioeconómico mau e injusto, porque dentro de um sistema económico, dentro de tudo, dentro do mundo - falando do problema ecológico -, dentro da sociedade socioeconómica, dentro da política, o centro tem de ser sempre a pessoa", disse o Papa, lembrando que 17% da população mundial detém 80% das riquezas. "Temos que tratar as causas, onde há fome temos que criar fontes de trabalho, onde há guerra é preciso trabalhar pela paz. Hoje em dia, o mundo está em guerra contra si mesmo, uma guerra em fol

  • "Hoje vi chover lume"
    3:57
  • A Minha Outra Pátria
    29:53
  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24

    Economia

    Milhares de clientes da Caixa Geral de Depósitos (CGD), que até aqui estavam isentos de qualquer pagamento, vão começar a pagar quase 5 euros por mês por comissões de conta. A medida abrange também reformados e pensionistas e entra em vigor já em setembro. Ainda assim, os clientes com mais de 65 anos e uma pensão inferior a 835 euros por mês continuam isentos.

  • O apelo da adolescente arrependida de ir lutar pelo Daesh

    Daesh

    Uma adolescente alemã que desapareceu da casa dos pais, no estado da Saxónia, esteve entre os vários militantes do Daesh detidos este fim de semana na cidade iraquiana de Mossul. Arrependida do rumo que deu à sua vida, deixou um apelo emocionado em que expressa, repetidamente, a vontade de "fugir" e voltar para casa.

    SIC