sicnot

Perfil

País

Universidade Europeia oferece licenciaturas a alunos sírios

A Universidade Europeia vai oferecer a cinco alunos sírios, que deverão chegar a Portugal nos próximos dias, bolsas de estudo para tirarem licenciaturas nas áreas de gestão e turismo, revelou à Lusa o reitor daquela instituição.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

A Universidade Europeia vai oferecer a cinco alunos sírios, que deverão chegar a Portugal nos próximos dias, bolsas de estudo para tirarem licenciaturas nas áreas de gestão e turismo, revelou à Lusa o reitor daquela instituição.

A uma semana do início das aulas, o reitor da Universidade Europeia (EU) vai assinar esta quarta-feira um protocolo com a Plataforma Global de Assistência Académica de Emergência a Estudantes Sírios, criada em 2013 por Jorge Sampaio, que permitirá a cinco jovens fazer gratuitamente a sua formação superior.

"A universidade considera que é fundamental, neste momento, ter uma particular atenção para com o que se passa na Síria e com os refugiados e nada melhor do que criar condições para que os estudantes possam nesta altura ser acolhidos noutros países e outras universidades para fazer a sua formação e mais tarde poderem voltar ao seu país", contou à Lusa o reitor João Proença.

A universidade vai financiar as bolsas que terão a duração de três anos e que representam um custo total de cerca de 83 mil euros, segundo as contas feitas pelo reitor.

Os estudantes, que vão tirar licenciaturas nas áreas de gestão e turismo, ainda estão na Síria mas "deverão chegar muito em breve", acrescentou o professor catedrático, lembrando que as aulas começam na próxima semana.

Este protocolo já estava a ser negociado há vários meses com a plataforma, que selecionou os alunos, e será agora assinado durante uma cerimónia que vai ocorrer no Auditório do Lispolis, em Lisboa.

Criada com o objetivo de minorar o impacto da guerra nos jovens universitários, a Plataforma trabalha em parceria com várias instituições internacionais e tem permitido oferecer formação superior a centenas de alunos sírios nos últimos anos.

O reitor João Proença diz estar disponível para continuar a colaborar nos projetos destinados a ajudar a minorar os problemas dos refugiados: "Nada melhor do que as universidade para ajudar estes jovens que mais tarde podem regressar ao sei pais e ajudar na sua reconstrução e recuperação".

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Itália tenta colocar migrações na agenda do G7 contra vontade dos EUA
    1:45
  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.