sicnot

Perfil

País

Dois mortos em queda de ultraleve em Tomar

Duas pessoas morreram hoje devido à queda de um ultraleve em Tomar, disse à agência Lusa uma fonte dos bombeiros municipais de Tomar. A mesma fonte adiantou que o acidente ocorreu cerca das 10:00 de hoje no campo de voo de Tomar, onde decorria um festival aéreo.

O acidente ocorreu cerca das 10:00 de hoje no campo de voo de Valdonas, em Tomar, distrito de Santarém, onde decorria um evento aéreo.

As vítimas são um homem, com cerca de 40 anos, e um jovem, adiantou à Lusa uma fonte do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAA), que está a investigar as causas do acidente.

Uma fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém acrescentou que os bombeiros foram alertados às 10:22 para um acidente que envolvia um ultraleve.

Deslocaram-se para o local três ambulâncias, uma viatura do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e uma viatura de desencarceramento dos bombeiros municipais de Tomar.

Após terem chegado ao local, o INEM confirmou a morte de duas pessoas, que foram transportadas para o Instituto de Medicina Legal de Tomar.

No campo de voo de Valdonas decorria o 13.º Encontro dos Templários, promovido pela Associação Tomarense de Aviação Ultraligeira (ATAUL).

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.