sicnot

Perfil

País

Casos de excesso de velocidade aumentaram 10% este ano

O número de veículos detetados a circular em excesso de velocidade aumentou 10 por cento este ano relativamente a 2014, revelou esta segunda-feira a GNR, que anunciou um aumento de ações de controlo de velocidade na terça-feira.

Os distritos com mais vítimas mortais este ano foram o Porto (46), Aveiro (42) e Lisboa (40), enquanto Bragança (três) e Viana do Castelo (sete) foram os que registaram menos mortos, entre 1 de janeiro e 31 de outubro. (Arquivo)

Os distritos com mais vítimas mortais este ano foram o Porto (46), Aveiro (42) e Lisboa (40), enquanto Bragança (três) e Viana do Castelo (sete) foram os que registaram menos mortos, entre 1 de janeiro e 31 de outubro. (Arquivo)

Lusa

Segundo os números da GNR, divulgados hoje em comunicado, desde o início do ano e até ao passado domingo, foram controlados mais de 6,5 milhões de veículos, dos quais 135.213 circulavam em velocidade superior ao permitido no local (um pouco mais de dois por cento do total).

No ano passado, em igual período, registaram-se 123.118 veículos em infração, o que equivale a um aumento de 10 por cento de excessos de velocidade este ano.

"Face a este aumento, e sendo o excesso velocidade uma das principais causas da sinistralidade rodoviária grave (com mortos e feridos graves) em Portugal, a par da condução sob a influência do álcool e da não utilização dos sistemas de retenção, a GNR tem intensificado as ações de controlo destas matérias, no sentido de reduzir o número de vítimas nas estradas", lê-se no comunicado.

A GNR alerta ainda que as ações de controlo de velocidade serão intensificadas durante o dia 22 em todo o país, especialmente "nas vias onde as infrações por excesso de velocidade são mais frequentes e dão origem a um risco acrescido de acidentes de viação, designadamente nas autoestradas e nas vias situadas no interior das localidades".

Lusa

  • Tiroteio no Mississipi provoca oito mortos
    1:23

    Mundo

    Oito pessoas morreram, incluindo um polícia, depois de um tiroteio no estado norte-americano do Mississipi, nos Estados Unidos da América. O suspeito, um homem de 36 anos, já foi detido, mas as autoridades dizem que ainda é cedo para saber os motivos.

  • Milhares de brasileiros protestam na Praia de Copacabana contra Temer
    3:04
  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40
  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.