sicnot

Perfil

País

Morreu bebé gravemente ferido em colisão perto de Castro Verde

O número de mortos da colisão ocorrida na segunda-feira perto de Castro Verde, todos da mesma família, subiu para cinco, com a morte do bebé que tinha ficado em estado grave.

Na sequência da colisão, envolvendo dois veículos ligeiros e uma carroça, o bebé, de 11 meses e do sexo masculino, foi transportado de helicóptero para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde entrou em paragem cardiorrespiratória e acabou por morrer na segunda-feira à noite, explicou fonte da GNR.

As restantes quatro vítimas mortais da colisão, que ocorreu pouco antes das 20:00, na Estrada Nacional 2, perto de Castro Verde, no distrito de Beja, são os pais do bebé, um homem, de 35 anos, e uma mulher, de 38, e os irmãos, um menino, de 10 anos, e uma menina, de oito, sendo que todos viajavam na carroça, disse a fonte.

A colisão provocou ainda três feridos, uma menina de 14 anos, que seguia na carroça e também era filha do casal, e os condutores dos veículos ligeiros de passageiros, dois homens, um de 67 anos e outro de 74, de nacionalidade suíça, que sofreram ferimentos leves.

A menina de 14 anos foi transportada para o hospital de Beja, de onde terá alta clínica durante o dia de hoje, disse à Lusa fonte da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo.

Os outros dois feridos receberam assistência no local e foram encaminhados para o posto da GNR de Castro Verde.

Segundo a fonte da força de segurança, a Estrada Nacional 2, entre Carregueiro e o nó do IP2 no acesso a Castro Verde, esteve cortada ao trânsito desde a hora do acidente e até às 00:20 de hoje.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Beja, as operações de socorro envolveram meios e elementos das corporações de bombeiros de Castro Verde, Aljustrel e Ourique, uma ambulância da delegação de Castro Verde da Cruz Vermelha Portuguesa, uma viatura de Suporte Imediato de Vida (SIV) de Castro Verde, uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) de Beja e um helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Com Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.