sicnot

Perfil

País

IPO recebe certificação da Sociedade Europeia de Oncologia Médica

O Instituto Português de Oncologia (IPO) é a partir deste sábado reconhecido como Centro Integrado de Oncologia e Cuidados Paliativos, uma certificação da Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO) que atesta a qualidade dos serviços do hospital.

A distinção, disse fonte do IPO à Lusa, é uma garantia de que os serviços prestados estão de acordo com os protocolos da ESMO. (Arquivo)

A distinção, disse fonte do IPO à Lusa, é uma garantia de que os serviços prestados estão de acordo com os protocolos da ESMO. (Arquivo)

SIC

O anúncio das novas instituições certificadas, sendo o IPO o primeiro hospital do Serviço Nacional de Saíde a obter aquele certificado de qualidade, é feito numa sessão especial sobre centros integrados de oncologia e cuidados paliativos no âmbito do Congresso Europeu do Cancro.

O Congresso, que decorre em Viena, na Áustria, começou na sexta-feira e termina na próxima terça, estando o IPO representado pelo oncologista João Freire (que liderou a candidatura do IPO à certificação) e por Madalena Feio, coordenadora da Equipa Intra-Hospitalar de Suporte em Cuidados Paliativos.

A distinção, disse fonte do IPO à Lusa, é uma garantia de que os serviços prestados estão de acordo com os protocolos da ESMO.

O Instituto explica também que para a certificação foi necessário apresentar uma candidatura, que foi analisada por peritos de vários países. Os candidatos têm de preencher requisitos relacionados com qualidade mas também com a filosofia dos cuidados.

"Em oncologia, os cuidados paliativos devem ser prestados de forma integrada com os tratamentos dirigidos ao cancro e devem estar disponíveis ao longo de toda a trajetória da doença, não apenas no fim da vida, sendo extensíveis à família", diz João Freire num comunicado divulgado pelo IPO.

No IPO os cuidados paliativos são prestados pelo Serviço de Oncologia Médica (médicos, enfermeiros e assistentes sociais com formação específica além da especialização oncológica) e pela equipa de Madalena Feio (médico, enfermeiros, psicóloga e assistente social). Na pediatria há um programa específico do mesmo género.

"O doente oncológico é paradigmático na sua necessidade de cuidados paliativos na fase de doença avançada, pela elevada prevalência de sintomas e pelo sofrimento físico, psicológico e espiritual, tanto do próprio doente como dos seus familiares", segundo Madalena Feio, no mesmo comunicado, a propósito da importância dos cuidados paliativos.

O programa de acreditação da ESMO começou em 2003 e desde então já certificou 172 centros (incluindo países de fora da União Europeia). Em Portugal já tinham sido distinguidas duas instituições, o Centro Clínico Champalimaud e a Unidade de Oncologia e Cuidados Paliativos do Hospital da Luz.

Lusa

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.