sicnot

Perfil

País

Mais de 400 militares destacados em operações já exerceram o voto antecipado

Mais de 400 militares das forças nacionais destacadas em teatros de operações já exerceram o seu direito de voto antecipado, entre 22 e 24 de setembro, disse à Lusa fonte oficial do Ministério da Defesa Nacional.

Lusa/ Arquivo

Os 185 militares presentes no Kosovo votaram no dia 24 de setembro. Tratando-se de um período de rotação desta força nacional destacada, pelo menos mais 50 militares do contingente que partiu na segunda-feira, 28 de setembro, também exerceram o direito de voto antecipado nas respetivas autarquias, informou a mesma fonte.

Também os 196 militares portugueses que integram a Força de Reação Imediata da NATO (Standing NATO Maritime Group One -- SNMG1) votaram a 24 de setembro, a bordo da Fragata NRP D. Francisco de Almeida.

Os quatro militares integrados na missão da União Europeia na Somália, assim como os cinco militares que estão a contribuir para o treino e formação das forças locais do Mali também exerceram o voto antecipado a 24 de setembro.

A 23 de setembro votaram os 30 militares portugueses em missão no Iraque, integrados na coligação internacional Operation Inherent Resolve, e entre os dias 22 e 23 de setembro exerceram o direito de voto os onze militares destacados na RSM e na UNAMA, no Afeganistão.

Os oito militares presentes na República Centro Africana, numa missão da União Europeia, votaram no dia 22 de setembro.

Segundo o Ministério da Defesa Nacional, o voto dos militares destacados foi assegurado com a deslocação de representantes do Ministério dos Negócios Estrangeiros e diplomatas a cada um dos teatros de operações.

Lusa

  • Lesados do Banif confiaram "num sistema que os aldrabou"
    2:00
  • "Octávio Machado foi a terceira escolha" para o cargo
    2:01
  • O que resta do navio de salvamento mais famoso de Portugal?
    15:26
  • "Temos de melhorar o sistema de prevenção e combate dos incêndios"
    18:07

    País

    O ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias, desta quinta-feira. Em análise esteve o chumbo do PCP na criação de um banco nacional de terras, a reforma da floresta em Portugal, as falhas no sistema de comunicação do SIRESP, a lei da rolha nos bombeiros, a seca no país e ainda a pesca da sardinha, que poderá vir a ser proibida durante 15 anos. 

    Entrevista SIC Notícias

  • Direita acusa presidente da Assembleia da República de não estar à altura do cargo
    2:06

    País

    O presidente da Assembleia da República está a ser novamente criticado pela oposição. Numa entrevista à Antena 1, Eduardo Ferro Rodrigues disse que não queria falar sobre o caso Galpgate para não causar espasmos à direita. Na reação, o CDS diz que a segunda figura do Estado deve abandonar as trincheiras partidárias. A direita acusa ainda que o presidente da Assembleia de não estar à altura do cargo.

  • "Sempre me senti em casa em Portugal"
    1:11