sicnot

Perfil

País

Soro pode faltar nos hospitais por dívidas aos fabricantes

O funcionamento dos hospitais está em risco, com a iminência de deixar de receber soro, produto fundamental para suporte de vida dos doentes, uma vez que as empresas ameaçam cortar o fornecimento por falta de dinheiro.

"Além da lei da rolha há uma espiral de medo. O interno tem medo do  especialista, o especialista tem medo do diretor de serviço e o diretor  de serviço tem medo do conselho de administração. É uma espiral de medo  que vamos tentar combater", afirmou hoje numa conferência de imprensa em  Lisboa o presidente do Conselho Regional do Sul da Ordem dos Médicos.  (SIC)

"Além da lei da rolha há uma espiral de medo. O interno tem medo do  especialista, o especialista tem medo do diretor de serviço e o diretor  de serviço tem medo do conselho de administração. É uma espiral de medo  que vamos tentar combater", afirmou hoje numa conferência de imprensa em  Lisboa o presidente do Conselho Regional do Sul da Ordem dos Médicos.  (SIC)

A denúncia é feita pela APORMED, Associação Portuguesa das Empresas de Dispositivos Médicos, que alerta para a taxa de 14,3 por cento, definida no Orçamento do Estado de 2015, imposta às empresas de venda de dispositivos médicos na área das Soluções Medicamentosas (Soros), uma taxa "incomportável" para um produto que já tem custos de fabrico elevados mas um preço de venda baixo (um litro custa entre 80 e 90 cêntimos).

"As soluções medicamentosas foram indevidamente colocadas no mesmo lote dos medicamentos inovadores, sobre os quais incide a taxa máxima. As empresas estão a pagar 14,3%, quando estes produtos por questão de baixa margem deviam estar equiparados a outros produtos como gases medicinais e derivados de sangue e plasma, que têm a taxa mínima (2,5%)", disse à Lusa João Gonçalves, Secretário-Geral da APORMED.

O responsável sublinha mesmo que os soros pertencem à mesma classificação atribuída pela Organização Mundial de Saúde aos derivados de plasma e de sangue e que tem "muitas parecenças" com os gases medicinais, ao contrário dos medicamentos inovadores que pertencem a "grupos totalmente diferentes".

Os soros são medicamentos para suporte vital e terapias cíticas, só usados em meio hospitalar: servem para manter o doente hidratado, para que o sistema cardio-circulatório funcione e para alimentar os doentes que chegam ao hospital sem a devida nutrição, explicou.

"Em qualquer emergência hospitalar, a primeira medida é colocar o soro, que no fundo é uma água esterilizada com diferentes solutos", acrescentou.

Segundo João Gonçalves, esta situação tem vindo a ser alertada junto das entidades competentes, nomeadamente a tutela, mas ainda não foi possível assinar um protocolo ou um acordo que permita que estes produtos sejam sujeitos à taxa mínima, como acontece com os outros.

O que acontece é que as empresas estão com dificuldade em suportar esta taxa, uma vez que este produto já tinha sofrido, nos últimos anos, uma "erosão de mais de 20% no preço".

Só que os "hospitais não podem passar sem estes produtos", mas o seu regular fornecimento está em risco de ser afetado, por incapacidade das empresas.

As consequências mais imediatas são o desinvestimento das empresas nesta área, ou, no caso das que se dedicam em exclusivo a estes produtos, a sua saída de Portugal.

Lusa

  • Árbitros em greve este fim de semana

    Desporto

    Vários árbitros de primeira categoria estão a pedir dispensa aos jogos do próximo fim de semana. Os juízes protestam contra o que chamam de clima de intimidação e exigem mais respeito para a classe. Desconhece-se para já quantos árbitros entregaram o pedido de dispensa.

  • Administrador recebia 420 mil € por ano quando aldeamento passava dificuldades
    4:39
  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • "Estamos vivos"
    11:41
  • Notas e moedas têm os dias contados?
    6:27
  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Peru faz aparição especial na Casa Branca
    1:10

    Mundo

    Os norte-americanos estão a preparar-se para o tradicional Dia de Ação de Graças, assinalado na próxima quinta-feira. O tradicional peru fez esta terça-feira uma aparição especial na sala de conferências de imprensa, na Casa Branca, em Washington. O peru é o prato tradicional no Dia de Ação de Graças, uma data de louvor a Deus, que remonta ao século XVII e que é celebrada na quarta quinta-feira de novembro, sobretudo nos Estados Unidos da América e no Canadá.

  • Sara Sampaio brilha em Xangai
    1:50