sicnot

Perfil

País

Um bombeiro ferido sem gravidade e viatura destruída no incêndio em Monchique

O incêndio em mato que deflagrou hoje em Tojeiro, Monchique, provocou ferimentos ligeiros num bombeiro e destruiu uma viatura dos bombeiros de Lagoa, informou a Proteção Civil.

(Arquivo)

(Arquivo)

LU\303\215S FORRA

Um carro dos bombeiros de Lagoa ardeu, depois de ter resvalado, tendo sido impossível retirar o veículo do local, não se registando ferimentos nos seus ocupantes, disse Abel Gomes, o comandante distrital da Proteção Civil do Algarve.

Segundo Abel Gomes, que falava num briefing conjunto com o presidente da Câmara de Monchique aos jornalistas, há ainda a registar ferimentos ligeiros num bombeiro durante o combate às chamas.

O comandante distrital da Proteção Civil do Algarve disse também aos jornalistas que o fogo está "controlado, prevendo-se que a sua extinção possa ocorrer durante a noite".

Abel Gomes crê que as condições meteorológicas durante a noite "possam ajudar no combate às chamas e à sua extinção, uma vez que se registam apenas pequenos focos de incêndio em zonas de difícil acesso".

O comandante acrescentou que continuam envolvidos no combate às chamas 15 corporações de bombeiros do Algarve com o apoio de quatro máquinas de rastro e também uma equipa especial de intervenção dos bombeiros.

Segundo a página na Internet da Autoridade da Nacional da Proteção Civil, no combate ao fogo, cujo alerta foi dado às 12:32, estão envolvidos 244 operacionais, apoiados por 83 meios terrestres.

O presidente da Câmara de Monchique, Rui André, informou que as pessoas que tinham sido retiradas durante a tarde das suas casas devido ao intenso fumo já regressaram.

"As 10 pessoas que foram retiradas por precaução devido ao intenso fumo já voltaram às suas casas e não há qualquer perigo para a sua permanência nas habitações", disse o autarca.

O autarca assegurou que não ardeu nenhuma habitação e que os bombeiros têm assegurado que o fogo não atinja as casas.

Lusa

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.