sicnot

Perfil

País

Comemorações do 5 de Outubro em Lisboa com Cavaco Silva ausente

A cerimónia solene do 105.º aniversário da implantação da República decorre, hoje de manhã, no salão nobre da Câmara de Lisboa, sem a presença do chefe de Estado, Cavaco Silva.

MIGUEL A. LOPES

Segundo a autarquia de Lisboa, a comemoração do 5 de Outubro decorrerá, entre as 11:15 e as 12:20, "nos moldes tradicionais no salão nobre do edifício dos Paços do Concelho", presidida por Assunção Esteves, presidente da Assembleia da República.

Cavaco Silva desvalorizou no domingo as críticas à sua ausência, afirmando que os Presidentes da República não vão às cerimónias do 5 de Outubro quando calha em tempo eleitoral, foi assim com os meus antecessores, é assim comigo", afirmou Aníbal Cavaco Silva, após ter votado numa escola em Lisboa.

Na quinta-feira, fonte oficial de Belém justificou à Lusa a ausência com a necessidade de Cavaco Silva "se concentrar na reflexão sobre as decisões que terá de tomar" nos dias seguintes, numa referência ao pós-eleições.

Desde que o dia da Implantação da República deixou de ser feriado, este será o primeiro ano que se irá comemorar num dia útil e será no dia seguinte às eleições legislativas.

As críticas à ausência de Cavaco Silva nas comemorações do 5 de Outubro fizeram-se ouvir da parte da Associação 25 de Abril e, entre outros, no PS, PCP e BE, e foram desvalorizadas nos partidos que integram a coligação PSD/CDS-PP.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "Situação humanitária dos civis em Ghouta é aterradora"
    0:49

    Mundo

    O enviado especial da ONU para a Síria lançou esta sexta-feira um novo apelo a um cessar-fogo. O responsável está particularmente preocupado com a situação da população civil e diz que é preciso evitar que se repita em Ghouta o que se passou em Alepo.

  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05
  • Instantes de uma noite de futebol europeu
    0:41
  • Não dá mais, Brasil!
    18:00