sicnot

Perfil

País

Cinco barras fechadas devido à agitação marítima forte

Cinco barras estão hoje fechadas a toda a navegação e outras duas estão condicionadas devido à previsão de agitação marítima forte, segundo informação disponível às 06:30 na página da Marinha portuguesa na Internet.

LUSA

De acordo com a Marinha, as barras de Esposende, Póvoa do Varzim, Vila do Conde, Aveiro e São Martinho do Porto estão hoje fechadas à navegação devido à previsão de agitação marítima forte, prevendo-se ondas até quatro metros.

As barras marítimas do Douro e Figueira da Foz estão fechadas a embarcações de comprimento inferior a 35 e 11 metros, respetivamente.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para hoje na costa ocidental ondas de noroeste com 2,5 a 3,5 metros, sendo de oeste-sudoeste com 3,5 a 4 metros a norte do Cabo Mondego até ao início da manhã.

Na costa sul prevê-se ondas de sudoeste com 1 a 1,5 metros.

O IPMA prevê para hoje no continente períodos de céu muito nublado, apresentando-se geralmente muito nublado nas regiões norte e centro até ao final da manhã e períodos de chuva ou aguaceiros, sendo por vezes fortes no Minho e Douro Litoral até ao início da manhã, diminuindo de intensidade e de frequência a partir do início da tarde.

Está também previsto vento moderado do quadrante oeste, tornando-se em geral fraco a partir da tarde e nas terras altas será moderado do quadrante oeste, soprando moderado a forte até meio da manhã.

A previsão aponta ainda para neblina ou nevoeiro matinal e pequena descida de temperatura.

Quanto às temperaturas, em Lisboa vão oscilar entre 19 e 22 graus Celsius, no Porto entre 16 e 18, em Viana do Castelo entre 14 e 19, em Vila Real, Bragança e Viseu entre 12 e 17, na Guarda entre 11 e 14, em Castelo Branco entre 15 e 20, em Coimbra entre 16 e 20, em Castelo Branco entre 15 e 20, em Évora entre 15 e 22, em Beja entre 17 e 24, em Santarém entre 17 e 22 e em Faro entre 19 e 23.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05