sicnot

Perfil

País

Livre/Tempo de Avançar vai convocar Congresso devido ao resultado das legislativas

O Grupo de Contacto do Livre/Tempo de Avançar anunciou hoje que vai pedir à Mesa da Assembleia a convocação de um Congresso, órgão máximo do partido, em consequência do resultado das eleições legislativas de domingo.

ANDR\303\211 KOSTERS

"O Grupo de Contacto reuniu ontem [segunda-feira] ao final da tarde e princípio da noite e, enquanto órgão executivo do LIVRE/Tempo de avançar, reconhece esta derrota, pela qual assume a responsabilidade política. Assim, vai pedir à Mesa da Assembleia que proceda à convocatória de um Congresso, órgão máximo do partido, que deverá desejavelmente ter lugar antes do final do ano", pode ler-se num comunicado dirigido aos apoiantes, divulgado no 'site' do partido.

Na nota divulgada hoje o Grupo de Contacto assume que o partido teve uma derrota nas eleições de domingo.

"Apesar de um processo muito participado, como talvez nunca tenha acontecido na democracia portuguesa, os resultados eleitorais do passado domingo exprimiram uma pesada derrota da nossa candidatura", acrescenta.

Nas eleições legislativas de domingo, o Livre/Tempo de Avançar (L/TDA) conseguiu mais de 39 mil votos, o que se traduziu em 0,72% das intenções de voto, mas que não permitiu a eleição de um deputado.

O L/TDA estabeleceu também dois "objetivos centrais" até à realização do congresso: "Sanear financeiramente o partido das despesas da campanha que acabámos de realizar e que, por não termos atingido o mínimo para a subvenção estatal, teremos de custear pelos nossos meios" e "promover as melhores condições para que todos os membros e apoiantes possam participar da reflexão que importa fazer sobre o futuro do partido".

O Grupo de Contacto do partido aproveitou ainda para agradecer o envolvimento e a dedicação dos membros e apoiantes, "em torno de um objetivo político que era crucial ter cumprido".

"Este projeto tem menos de dois anos e já contribuiu em muito para o renovar da vida política portuguesa porque contou com o empenho, a imaginação e a vontade cívica de todos vós --- e é assim também que escreverá o seu futuro", remata a nota.

Lusa

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.