sicnot

Perfil

País

Populares criticam falta de salvamento uma hora após naufrágio na Figueira da Foz

Uma lancha da polícia marítima no rio, 45 minutos depois do naufrágio de uma embarcação de pesca na entrada do porto da Figueira da Foz, era às 20:25, o único de salvamento aquático visível no local.

Mais de uma hora depois do naufrágio, às 20:40, cerca de duas centenas de pessoas estavam concentradas na cabeça do molhe sul do porto da Figueira da Foz e criticavam a falta de uma operação de salvamento e a ausência de embarcações no mar, como presenciou a agência Lusa no local.

Uma embarcação de pesca naufragou hoje à entrada do porto da Figueira da Foz cerca das 19:30, desconhecendo-se para já a existência de vítimas mortais, observou a agência Lusa no local.

Os populares e pescadores questionam a ausência do Instituto de Socorros a Náufragos (ISN) e questionaram diretamente o presidente da Câmara da Figueira da Foz, João Ataíde, que se encontra no local, inteirando-se do sucedido.

João Ataíde, contudo, afirmou não ter tem autoridade nas questões que envolvem o porto da Figueira da Foz.

De acordo com testemunhas oculares, pescadores que estavam naquele momento no molhe norte do porto, a embarcação estava a entrar na barra e enquanto esperava por uma ondulação favorável foi atingida por uma onda que a virou, naufragando-a, num momento em que ainda havia luz.

Às 19:32, via-se do molhe norte da Figueira da Foz, junto à praia, a embarcação virada a umas dezenas de metros do molhe sul e uma balsa de salvamento, não se descortinando se está ou não ocupada por pescadores.

Junto ao molhe norte estiveram igualmente várias ambulâncias e meios terrestres da Polícia Marítima, que entretanto abandonaram o local, aproximando-se da margem sul do rio.

De acordo com testemunhas oculares, surfistas que estavam na praia interior do molhe sul, o "Cabedelinho", disseram que estariam cinco a seis pessoas numa balsa de salvamento e dois pescadores agarrados ao casco do arrastão, que se virou a poucas dezenas de metros do molhe sul.

A capitania terá entretanto pedido um helicóptero para o local, que às 20:25 ainda não tinha chegado.

Lusa

  • Mais de 50 milhões de italianos decidem futuro do país
    1:43

    Mundo

    Este domingo, está nas mãos de mais de 50 milhões de eleitores italianos o futuro do país. Mais do que um voto à reforma constitucional, o referendo terá consequências políticas diretas no Governo italiano. As urnas fecham às 23h00, 22h00 em Lisboa. Os primeiros resultados são esperados meia hora depois.