sicnot

Perfil

País

Setembro chuvoso desagrava seca em Portugal

A chuva e o frio no mês de setembro contribuíram para o desagravamento da seca meteorológica, que terminou mesmo na região noroeste de Portugal, de acordo com o boletim climatológico mensal.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Segundo o boletim, publicado pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera, a 30 de setembro, 85% do território nacional estava em situação de seca meteorológica, 24% em seca fraca, 29% em seca moderada e 32% em seca severa.

De acordo com a análise realizada, o índice meteorológico de seca, que tem em conta dados da quantidade de precipitação, temperatura do ar e capacidade de água disponível no solo, permitindo detetar a ocorrência de períodos de seca e classifica-los em termos de intensidade, revela que a situação de seca teve início em março de 2015, intensificando-se até final de julho e mantendo-se em agosto em quase todo o território.

"No mês de setembro verifica-se um desagravamento da área afetada e da intensidade da situação de seca meteorológica, tendo mesmo terminado na região noroeste do território", refere o documento publicado pelo IPMA.

Segundo os dados do boletim, o valor médios da temperatura média, mínima e máxima do ar foram inferiores ao normal. O valor médio mensal da temperatura mínima do ar - 12,73 graus Celsius - foi o mais baixo dos últimos 39 anos.

Já o valor médio da quantidade de precipitação em setembro (54,4 milímetros) foi superior ao valor médio (42,1 milímetros), o que levou o instituto a classificar o mês como chuvoso.

De acordo com o Sistema Nacional de Informação de Recursos Hídricos (SNIRH), a quantidade de água armazenada em setembro subiu em três bacias hidrográficas de Portugal continental e desceu em nove.

Segundo o boletim de armazenamento de albufeiras do SNIRH, no último dia do mês de setembro, e comparativamente ao último dia do mês anterior, verificou-se um aumento do volume armazenado em três bacias hidrográficas e uma descida em nove.

Das 60 albufeiras monitorizadas, sete apresentam disponibilidades hídricas superiores a 80% do volume total e 12 têm disponibilidades inferiores a 40%.

Lusa

  • Governo prepara projeto para suavizar transição para a reforma
    1:38

    Economia

    O Governo quer suavizar a transição do trabalho para a reforma. A ideia é que essa passagem seja feita gradualmente e não de um dia para o outro, o que pode ser mais traumático. O projeto prevê a possilidade de o trabalhador cumprir meio horário e acumular com meia pensão.

  • Portugal pode perder parte dos fundos comunitários
    2:21

    Economia

    Portugal arrisca-se a perder parte dos fundos comunitários atribuídos ao país, se não acelerar a execução dos programas que têm comparticipação de Bruxelas. A notícia é avançada pelo jornal Público, que revela que o país ainda está longe de cumprir as metas mínimas. O Executivo desdramatiza e acredita que serão cumpridas até ao final do ano. O Governo diz mesmo que Portugal deverá ser um dos países com melhores taxas de execução.

  • Proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causas do Alzheimer
    2:33

    País

    Uma proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causadoras do Alzheimer. A revelação, feita pelo prémio Nobel da Medicina de 2014, será discutida no terceiro dia da cimeira mundial sobre doenças neurodegenerativas na Fundação Champalimaud, em Lisboa. A partir de hoje, serão apresentadas novidade nas investigações científicas sobre a epidemia silenciosa, que atinge 50 milhões de pessoas em todo o mundo.

  • Primeiro discurso de Costa na ONU alinhado com o de Guterres

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, proferirá hoje o seu primeiro discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, devendo estar muito alinhado com a agenda política apresentada na terça-feira pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, valorizando o multilateralismo.

  • Habitantes da favela da Rocinha temem novo episódio violento
    2:54

    Mundo

    Localizada no Rio de Janeiro, a Rocinha, maior favela do Brasil, foi palco de um tiroteio entre traficantes, no último fim de semana. Agora, pelo terceiro dia consecutivo, a polícia do Rio de Janeiro está a fazer um cerco em algumas favelas cariocas à procura de traficantes. A comunidade está assustada e receia que episódios violentos como este se repitam.