sicnot

Perfil

País

Um morto e quatro desaparecidos em naufrágio na Figueira da Foz

Um dos sete tripulantes do arrastão que hoje naufragou na entrada do porto da Figueira da Foz foi resgatado sem vida e dois foram salvos por uma mota de água da Polícia Marítima, disseram organizações de socorro.

Lusa

Continuam desparecidos quatro pescadores, enquanto no local prosseguiam as buscas, cerca das 21:45.

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) confirmou a existência de um pescador morto, cujo corpo foi resgatado e retirado de uma lancha da Polícia Marítima, como testemunhado pela Lusa no local.

Segundo o comandante dos Bombeiros Municipais da Figueira da Foz, Jorge Piedade, os dois sobreviventes foram resgatados por uma mota de água da Polícia Marítima.

A mota de água puxou a balsa salva vidas onde se encontravam os dois pescadores, para uma zona com pouca rebentação junto ao molhe sul, tendo os pescadores saltado para a mota e retirados do local, explicou Jorge Piedade.

O comandante dos Bombeiros Voluntários da Figueira da Foz disse que os dois sobreviventes estão em estado de hipotermia, mas aparentemente bem e foram transportados para o hospital local, por precaução.

Um arrastão, com mais de 20 metros, naufragou às 19:30 de à entrada do porto da Figueira da Foz.

Às 21:00 estavam cerca de duas dezenas de pessoas no molhe sul do porto, que criticavam veementemente a falta de uma operação de salvamento no mar.

A Marinha garantiu entretanto à Lusa que ativou um meio aéreo e o navio de patrulha oceânico para auxiliar a tripulação da embarcação que naufragou à entrada do porto da Figueira da Foz. Cerca das 21:00, o meio aéreo tinha chegado ao local.

De acordo com testemunhas oculares, surfistas que estavam na praia interior do molhe sul, o "Cabedelinho", disseram que estariam cinco a seis pessoas numa balsa de salvamento e dois pescadores agarrados ao casco do arrastão que se virou a poucas dezenas de metros do molhe sul.

Lusa

  • Incêndio destrói igreja em Ponte da Barca
    1:49

    País

    Um incêndio destruiu na última madrugada a Igreja de Lavradas, em Ponte da Barca. A Polícia Judiciária de Braga está a investigar as causas do fogo, mas tudo aponta para um curto-circuito.

  • Bairro em Loures não tem luz há mais de um ano
    2:30

    País

    O bairro da Torre, junto ao aeroporto de Lisboa mas ainda no concelho de Loures, não tem eletricidade nem nos postes, nem nas casas. A EDP e os moradores nunca chegaram a acordo para uma solução de pagamento coletivo e a empresa, para acabar com as puxadas eléctricas ilegais, decidiu cortar de vez o abastecimento há mais de um ano.