sicnot

Perfil

País

Acidentes nas estradas provocaram 365 mortos desde janeiro

Os acidentes rodoviários provocaram este ano 365 mortos, mais 25 do que em igual período de 2014, indicam dados da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

Segundo a ANSR, 365 pessoas morreram nas estradas portuguesas, de 01 de janeiro a 30 de setembro, representando um aumento de 7,3 por cento em relação ao mesmo período de 2014, quando se registaram 340 vítimas mortais.

A ANSR, que reúne dados da PSP e da GNR, adianta que o número de acidentes também aumentou quase cinco por cento até setembro, tendo-se registado 89.822 desastres, mais 4.153 do que nos mesmos meses do ano passado.

Os distritos que registaram mais vítimas mortais foram Aveiro, com 41 mortos, seguido do Porto (39) e Lisboa (36).

O distrito com menos mortos nas estradas portuguesas foi Bragança, onde três pessoas morreram este ano, refere a Segurança Rodoviária.

Os feridos graves também aumentaram ligeiramente, tendo o número de pessoas gravemente feridas, até setembro, subido a 1.647, enquanto no ano passado se fixou em 1.573, no mesmo período.

A ANSR diz ainda que este ano sofreram ferimentos ligeiros 27.518 pessoas, contra o número de 27.155, nos primeiros nove meses de 2014.

Os dados da ANSR dizem respeito às vítimas cujo óbito ocorreu no local do acidente ou a caminho do hospital.

Lusa

  • A estreia de Centeno como líder do Eurogrupo
    1:56
  • Puigdemont chegou à Dinamarca e não foi detido

    Mundo

    A Justiça espanhola pediu à Dinamarca para ativar a ordem de detenção europeia contra Carles Puigdemont, que ignorou as ameaças de detenção e decidiu deslocar-se a Copenhaga para participar numa conferência. Entretanto na Catalunha, o presidente do parlamento propôs Puigdemont para voltar a dirigir o Governo Regional.

  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

    Luís Marques Mendes

  • O caso Assange é "um problema" para o Equador

    Mundo

    O Presidente equatoriano, Lenin Moreno, declarou no domingo que o asilo atribuído ao fundador do WikiLeaks, Julian Assange, pela embaixada do Equador em Londres desde 2012 é "um problema herdado" que constitui "mais que um aborrecimento".