sicnot

Perfil

País

Curso de Medicina ficou com duas vagas por preencher

Ao fim de três fases de colocação no Ensino Superior sobraram este ano duas vagas em Medicina, o curso em que é mais difícil de entrar em Portugal, devido à elevada média de candidatura.

© Marcelo del Pozo / Reuters

De acordo com os dados divulgados hoje pela Direção-Geral do Ensino Superior (DGES), uma vaga no curso de Medicina na Universidade Lisboa e outra na Universidade Nova de Lisboa, levadas a concurso na 3.ª fase, ficaram por preencher.

As vagas em questão são de recolocação, ou seja, lugares que ficaram disponíveis depois de os estudantes que as ocupavam se terem candidatado e conseguido, uma nova colocação na 3.ª fase, ou seja, por terem conseguido mudar de curso.

Em Medicina houve apenas um colocado na 3.ª fase, no curso da Universidade do Minho, com uma nota de entrada de 18,65 valores, a média mais alta da última fase do concurso nacional.

Gestão, na Faculdade de Economia da Universidade do Porto; Pintura, na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, Engenharia Biomédica, no Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa, e o curso preparatório para o mestrado integrado em Medicina da Universidade dos Açores foram os únicos que registaram entradas na 3.ª fase com notas médias superiores a 18 valores.

Oito licenciaturas, em universidades e politécnicos, registaram notas de entrada entre os 9,5 e 9,9 valores, consideradas positivas por arredondamento.

Dos mais de mil cursos, 373 deixaram vagas por preencher. Entre esses 187 não tiveram qualquer candidato.

Dos 4.355 candidatos a um lugar na 3.ª fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior, 1.629 estudantes conseguiram uma colocação nas universidades e politécnicos públicos, que contam este ano com quase 45 mil novos alunos.

Lusa

  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Governo garante que programa de ajuda alimentar será executado em 2017
    2:56

    País

    O Governo não executou o programa europeu que, no ano passado, apoiou 400 mil portugueses e é acusado de ter desperdiçado este ano 28 milhões de euros em ajuda alimentar. O ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, Vieira da Silva, garante que o programa será executado em 2017 e que este ano serviu para tomar medidas no sentido dessa implementação.

  • Sol e calor teimam em ficar para o Natal
    1:50

    País

    Com o Natal à porta, o sol teima em ficar um pouco por todo o país. Até a norte as temperaturas estão altas para esta época do ano com o distrito do Porto a rondar os 18 graus.

  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47