sicnot

Perfil

País

Inspeção de saúde recomenda processo disciplinar a presidente do INEM por acionar helicóptero

A Inspeção-Geral da Saúde recomendou ao ministro da tutela a instauração de um processo disciplinar ao presidente do INEM por ter privilegiado uma doente ao acionar um helicóptero.


Em causa está a conduta do médico e major Paulo Campos ao acionar um helicóptero para transportar uma doente terminal do Hospital de Cascais para o de Abrantes. O presidente do INEM terá violado os deveres profissionais ao privilegiar uma doente amiga.

De acordo com a imprensa de hoje, a Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) concluiu, no relatório de inquérito, que a atuação do presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), Paulo Campos, foi "objetivamente ilegal".

No relatório, a IGAS indica que a conduta do presidente do INEM foi "contrária aos princípios gerais da ética e da boa gestão".

Segundo a IGAS, "em função de um apelo particular, foi privilegiada uma doente sem que tal exceção fosse devidamente fundamentada e autorizada".

"Foram disponibilizados bens públicos/meios de emergência/recursos escassos e altamente diferenciados, com prejuízo do interesse público, e com custos associados ao acionamento do helicóptero e equipas", salienta a IGAS.

Assim, a IGAS, considera que a conduta de Paulo Campos "é determinante de procedimento disciplinar, por ser contrária aos princípios gerais da ética, da boa gestão, por violação do princípio de interesse público, bem como por violação do princípio da especialidade".

Contactado pelo Jornal de Notícias, o Ministério da Saúde disse que vai pronunciar-se "em tempo oportuno".

Em janeiro deste ano, Paulo Campos terá alegadamente autorizado a transferência da doente de helicóptero do INEM para Abrantes, apesar de o hospital de Cascais não o ter solicitado.

O caso do helicóptero foi o segundo processo de averiguações que foi instaurado a Paulo Campos.

A IGAS investigou também o alegado desvio de uma ambulância com uma doente prioritária, para que a mulher de Paulo Campos conseguisse chegar a horas ao hospital onde trabalha, em Gaia.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras