sicnot

Perfil

País

Operação conjunta entre Portugal e França resultou em 69 detenções

A operação conjunta de Portugal e França contra um grupo de transporte de imigrantes em situação ilegal resultou na detenção de 69 pessoas, entre as quais "nove figuras-chave" da rede criminosa que operava na União Europeia, anunciou hoje a Europol.

© Suhaib Salem / Reuters

Depois de o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) ter anunciado na passada sexta-feira que seis estrangeiros foram detidos na "operação Bouquet", realizada em conjunto com as autoridades francesas, a Europol, que apoiou a investigação, juntamente com a Eurojust, deu hoje mais detalhes sobre o esquema montado e que em Portugal envolvia não só o transporte de imigrantes como também casamentos de conveniência entre imigrantes e mulheres de nacionalidade portuguesa.

Dando conta da operação realizada pelo SEF a 01 de outubro que levou à detenção, em Portugal, de um "facilitador" que pertencia ao grupo criminoso, a Europol, o serviço europeu de polícia, explica que o esquema se baseava no transporte de imigrantes em situação ilegal -- oriundos do Industão, norte da Índia -- entre Lisboa, Paris e a fronteira belga, em viaturas próprias, além dos casamentos de conveniência envolvendo mulheres de nacionalidade portuguesa.

Entre as várias operações realizadas no quadro da investigação, a Europol destaca uma realizada na noite de 26 de setembro último em Biarritz Lá Négresse, França, que resultou na interceção de cinco veículos do grupo criminoso e na detenção de seis traficantes.

Na última sexta-feira, o SEF indicou que a investigação criminal decorria há cerca de dois anos, sob a direção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, em coordenação com as autoridades francesas, visando um grupo de pessoas que se dedicam ao transporte de imigrantes em situação ilegal de vários países da União Europeia para Portugal, para aqui se regularizem, recorrendo a documentação falsa ou obtida fraudulentamente.

Lusa

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.