sicnot

Perfil

País

Operações de remoção do arrastão recomeçam esta manhã

As operações de remoção do arrastão naufragado na Figueira da Foz vão ser retomadas às 09:00 de hoje, depois de se ter conseguido aproximar o barco de terra em 35 metros na madrugada, disse o comandante Nuno Leitão.

PAULO NOVAIS

Em declarações à agência Lusa, o porta-voz da Autoridade Marítima e comandante do Instituto de Socorros a Náufragos explicou que durante a noite a madrugada "a equipa de salvação marítima esteve a fazer operações de mergulho de forma a conseguir rebocar o arrastão para a zona interior do porto da Figueira da Foz".

"Durante o arco noturno em que decorreram as operações, até às 3:00, conseguiu-se já movimentar 35 metros o arrastão para dentro da barra. A ideia é posicionar num local para fazer os trabalhos e tornar a barra transitável, já que tem estado fechada", adiantou.

De acordo com o responsável, as operações vão ser retomadas pelas 9:00, com a perspetiva de que durante as duas marés de hoje o "problema possa estar resolvido para ver se estão dentro da embarcação as vítimas que ainda estão desaparecidas".

O naufrágio do arrastão Olívia Ribau na terça-feira provocou três mortos, dois pescadores continuam desaparecidos e outros dois foram resgatados com vida.

Na quinta-feira, a empresa de salvação marítima contratada pelo armador pôs o arrastão a flutuar, tendo este rodado e ficado em posição horizontal, embora virado ao contrário.

Um rebocador tentou, por duas vezes, puxar o navio naufragado à entrada da barra da Figueira da Foz para uma zona interior do rio Mondego, junto à chamada praia do Cabedelinho, mas os cabos soltaram-se. Com o aproximar da baixa-mar, a operação foi suspensa, tendo sido retomada pelas 23:00 e terminado pelas 3:00.

Nuno Leitão manifestou ainda a esperança de que os trabalhos de reboque do arrastão fiquem hoje concluídos, mostrando a sua preocupação com as previsões meteorológicas para os próximos dias com "ondulação forte, vento e chuva".

"Vamos correr contra o tempo e aproveitar esta janela de oportunidade", concluiu.

Lusa

  • Agente que resgatou pescadores na Figueira descreve cenário muito complicado
    1:07

    País

    O agente da Polícia Marítima que resgatou os dois homens do mar na F diz que, quando chegou junto à balsa de salvamento, os pescadores estavam em pânico mas colaboraram no resgate. Carlos Santos lamenta que ainda não tenham sido encontrados os restantes ocupantes do arrastão e descreve um cenário muito complicado para se usar qualquer outro meio que não uma mota de água.

  • Remoção do navio na Figueira da Foz foi suspensa

    País

    As operações de reflutuação e remoção do arrastão naufragado na Figueira da Foz foram suspensas até às 23:00 de hoje, depois de uma primeira tentativa de remover a embarcação para o interior do rio ter falhado, disse o armador.

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".