sicnot

Perfil

País

Cavaco Silva recebe secretário-geral do PS, antes Costa reúne-se com BE e PAN

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, recebe hoje, às 16:00, o secretário-geral do PS, António Costa, que, antes de ir a Belém, terá ainda encontros com o BE e o PAN.

© Rafael Marchante / Reuters

A reunião entre António Costa e o BE, que chegou a estar marcada para quinta-feira e foi adiada a pedido do partido de Catarina Martins, irá realizar-se às 11:00, na sede dos 'bloquistas', enquanto o encontro com o PAN irá decorrer a partir das 14:30.

A audiência de Cavaco Silva a António Costa acontece seis dias depois de o chefe de Estado ter recebido em Belém o líder do PSD, Pedro Passos Coelho.

Depois do encontro com Passos Coelho, o Presidente da República fez uma comunicação ao país, na qual anunciou que encarregou o líder do PSD de desenvolver diligências para avaliar as possibilidades da constituição de uma "solução governativa que assegure a estabilidade política e a governabilidade do país".

Na comunicação, Cavaco Silva reiterou também que não se substituirá aos partidos no processo de formação do Governo, mas sublinhou que este "é o tempo do compromisso", onde a cultura da negociação deverá estar sempre presente.

No dia seguinte ao encontro, Passos Coelho e o presidente do CDS-PP, Paulo Portas, assinaram um acordo de Governo e colaboração mútua, no qual propõem ao Presidente da República um executivo de coligação entre os dois partidos, liderado pelo atual primeiro-ministro.

Na cerimónia de assinatura do acordo, o líder do PSD e atual primeiro-ministro anunciou que iria reunir-se com o secretário-geral do PS para promover "uma cultura de diálogo, de compromissos", que assegure "estabilidade para governar".

O encontro entre Passos Coelho, Paulo Portas e António Costa realizou-se na sexta-feira de manhã e, no final, o secretário-geral do PS disse ter-se tratado de uma reunião "bastante inconclusiva", alegando que PSD e CDS-PP não apresentaram qualquer proposta concreta.

No lado do PSD, Passos Coelho afirmou que os sociais-democratas e o CDS-PP querem acolher propostas do PS para obter um acordo sobre as linhas gerais do seu Programa do Governo e do Orçamento do Estado para 2016, sem traçar "linhas vermelhas".

Os três partidos marcaram, entretanto, novo encontro para terça-feira.

Também na sexta-feira, António Costa esteve reunido com o partido ecologista Os Verdes, num encontro que o líder socialista classificou como "muito produtivo" e a dirigente ecologista Heloísa Apolónia como "útil".

Na quarta-feira, o secretário-geral do PS já tinha estado já reunido com o PCP. No final, o secretário-geral comunista, Jerónimo de Sousa, reafirmou a disponibilidade para viabilizar um elenco governativo socialista e impedir novo executivo da coligação PSD/CDS-PP.

Lusa

  • À procura de um Governo estável
    3:42

    Novo Governo

    Não há avanços nas negociações para a formação do futuro Governo. Até agora, nã há notícias do documento que a coligação PSD-CDS prometeu fazer chegar ao Largo do Rato com propostas concretas para um entendimento com o PS. Nas negociações à esquerda aguarda-se pelo encontro desta segunda-feira entre socialistas e BE.

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • O que muda com a saída do Procedimento por Défice Excessivo?
    2:10
  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.

  • Marcelo opta pelo silêncio sobre a eutanásia
    1:09

    Eutanásia

    Marcelo Rebelo de Sousa diz que só tomará uma posição sobre a eutanásia quando o diploma chegar a Belém. O chefe de Estado garante que vai ficar em silêncio, para não condicionar o debate e também "para ficar de mãos livres para decidir".