sicnot

Perfil

País

Morreu o paraquedista que embateu em muro durante aterragem em Portimão

Um paraquedista que participava no concurso internacional de saltos no aeródromo da Penina, em Portimão, no Algarve, e que no domingo embateu num muro ao falhar a aterragem, morreu no hospital, disse hoje à Lusa fonte hospitalar.

Arquivo

Arquivo

© Mohammad Ismail / Reuters

Segundo fonte do gabinete de comunicação do Centro Hospitalar do Algarve, o homem deu entrada no hospital de Portimão no domingo à tarde, "com ferimentos graves, acabando por falecer na unidade hospitalar" ainda no domingo.

Por seu turno, fonte dos bombeiros afirmou que o homem, de 34 anos e natural da Índia, estava a chegar ao solo quando terá embatido com violência num muro, alegadamente empurrado por uma rajada de vento, "tendo sofrido ferimentos graves e entrado em paragem cardiorrespiratória".

Segundo a fonte, o homem foi assistido no local por uma equipa do Instituto Nacional de Emergência (INEM), que "conseguiu reanimá-lo e estabilizá-lo" até à chegada ao hospital.

No festival internacional de paraquedismo Autumn Boogie 2015, a decorrer até domingo, no aeródromo da Penina, na freguesia de Alvor (Portimão), participam cerca de 300 praticantes da modalidade de vários países.

A Skydive Algarve, empresa organizadora do evento, recusou-se a comentar o sucedido, alegando que o caso está a ser investigado pelas autoridades.

Em pouco mais de 18 meses, o acidente de domingo passado é o terceiro registado naquele aeródromo municipal com vítimas mortais.

Em março e outubro de 2014, dois outros paraquedistas, um homem de 40 anos de nacionalidade alemã e uma mulher portuguesa de 32, morreram em consequência de quedas devido a alegados problemas com os paraquedas.

Lusa

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.