sicnot

Perfil

País

Combate à pobreza não tem sido uma prioridade dos governos europeus

O presidente da Rede Europeia Anti-Pobreza (EAPN Europa), Sérgio Aires, afirmou hoje que o combate à pobreza não tem sido uma prioridade dos governos europeus, que adotaram um modelo de crescimento económico que privilegia o lucro.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Mohamed Al-Sayaghi / Reuters

"Não nos parece que nos últimos quatro, cinco, seis anos o combate à pobreza tenha sido uma prioridade e quando olhamos para a estratégia europeia 'Europa 2020' e todos os outros mecanismos de governação europeia" constata-se que "o objetivo da inclusão social é secundarizado pelo objetivo do crescimento", disse Sérgio Aires à agência Lusa.

Esse crescimento está muitas vezes "preparado para ser feito à custa da redução de direitos em termos de proteção social e garantias de proteção ao cidadão", sublinhou Sérgio Aires.

O papel da Europa no mundo relativamente ao combate à pobreza vai estar em debate hoje e na quarta-feira, na Figueira da Foz, no VII Fórum Nacional de Combate à Pobreza e Exclusão Social, promovido pela EAPN Portugal para assinalar o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza (17 de outubro).

Segundo o presidente da EAPN Europa, o continente europeu, particularmente a União Europeia não tem conseguido combater este problema.

A situação de passar de "85 milhões de pobres em 2010 para 123 milhões em 2013" devia "fazer soar todas as campainhas da União Europeia e devia fazer com que os nossos dirigentes considerassem que este [combate à pobreza] é o primeiro objetivo", frisou.

Advertiu, a este propósito, que "sem coesão social muito dificilmente haverá crescimento" ou então existirá "um crescimento que não é seguramente aquele que salvará as pessoas da pobreza".

Mas os países com taxas de pobreza e de risco de pobreza mais altas sentirão mais dificuldade em fazer face a este fenómeno, que é global.

"Esse é um dos problemas que temos de ter em consideração e que muitas vezes é mal-encarado. Ou seja, pensa-se que a pobreza é um problema português, mas o problema da pobreza em Portugal não é um problema exclusivamente nacional", salientou.

As suas causas estão também relacionadas com "o contexto internacional e o mundo em que vivemos": "Se Portugal tem uma economia relativamente débil não se deve apenas à nossa responsabilidade, mas a muitas decisões que foram tomadas ao mais alto nível em termos globais".

Para Sérgio Aires, a causa do problema na Europa deve-se ao modelo económico adotado pelos governos, que "não põe em primeira instância o bem-estar das pessoas, mas o lucro de alguns em detrimento da pobreza dos outros".

"O tipo de crescimento que a Europa quer ter está tendencialmente a ser feito à custa da vida das pessoas e do seu bem-estar, nomeadamente pela redução da prestação social, que é um caso paradigmático", comentou.

"A proteção social, que é fundamental para a economia poder crescer, está hoje sob suspeita. É aí que se tem feito grandes cortes em todos os países, particularmente naqueles que mais têm sido afetados pela austeridade", lamentou.

Lusa

  • Portugal é um dos subscritores da Agenda para o Desenvolvimento Sustentável da ONU
    1:57

    País

    A situação dos refugiados foi um dos temas do discurso de Cavaco Silva nas Nações Unidas. Em Nova Iorque, o Presidente da República anunciou que Portugal é um dos subscritores da Agenda para o Desenvolvimento Sustentável, o mais ambicioso plano da ONU para os próximos 15 anos. Erradicar a pobreza extrema, facilitar o acesso à saúde e à educação e melhorar o ambiente são algumas das 17 áreas contidas na agenda 2030.

  • Mulher vive em casa sem água e sem luz na Moita
    4:48

    País

    Um caso de pobreza extrema arrasta-se há anos, sem solução, no concelho da Moita.Uma mulher de 56 anos vive numa casa degradada, vazia, sem água e sem luz.Sobrevive com a ajuda dos vizinhos, que a alimentam e vestem.As autoridades locais conhecem a situação e dizem agir na medida das suas competências. Uma mulhe de 56 anos vive numa casa degradada, vazia, sem agua e sem luz.Subrevive com a ajuda dos vizinhos, que a alimentam e vestem.As autoridades locais conhecem a situação, e dizem agir na medida das suas competencias.

  • Principais factos da acusação no caso BPN dados como provados

    País

    O coletivo de juízes responsável pelo julgamento do processo principal do caso BPN interrompeu perto das 13:00 a leitura do acórdão iniciada pelas 10:30. Os principais factos da acusação são dados como provados, mas a leitura deverá demorar algumas horas.

  • Greve na Função Pública vai afetar escolas, saúde e cultura

    País

    A greve nacional convocada para sexta-feira pela Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (FNSTFPS) deverá afetar as escolas, a área da saúde e ainda da cultura, entre outros serviços, afirmou esta quarta-feira a dirigente sindical, Ana Avoila.

  • Papa pede a Trump para ser pacificador
    1:12
  • Supremo confirma condenação de Messi por fraude fiscal

    Desporto

    O Supremo Tribunal de Justiça espanhol confirma a condenação de Lionel Messi por fraude fiscal. A notícia foi avançada pelo El País. O jogador do Barcelona foi condenado a 21 meses de prisão por três crimes fiscais que lesaram o Estado em 4,1 milhões de euros.

  • Autódromo do Estoril está ilegal há 45 anos

    Desporto

    De acordo com o Público este equipamento desportivo, inaugurado na década de 70, não tem licença de construção nem de utilização. Uma notícia que apanhou de surpresa o executivo camarário de Cascais, liderado por Carlos Carreiras.

  • Seca na Bacia do Sado exige restrições ao uso da água no Alentejo

    País

    A Agência Portuguesa do Ambiente aprovou hoje um conjunto de medidas para gestão dos recursos hídricos, definindo medidas específicas para a bacia hidrográfica do Sado, a única que se encontra em situação de seca. Além da diminuição de regas em hortas e jardins, a APA recomenda o encerramento das fontes decorativas, a proibição de encher piscinas e de lavagem de automóveis.