sicnot

Perfil

País

Durão Barroso alerta para custos de Governo do PS com PCP e BE

O ex-presidente da Comissão Europeia Durão Barroso considerou que a entrada do Bloco de Esquerda e do PCP para o Governo "seria negativa" e poderia implicar custos para o país e alertou que os eleitores do PS não votaram para um executivo à esquerda.

NUNO VEIGA/LUSA

Em entrevista publicada na edição de hoje do Diário Económico, Barroso manifestou-se esperançado em que a coligação PSD-CDS/PP e o PS "encontrem pontos para chegar a um acordo", advertindo para a possibilidade da entrada para o governo de partidos que não respeitam os compromissos internacionais de Portugal.

"O que me pareceria negativo, de um ponto de vista económico, até para a imagem do país, é que aqueles que não aceitam os compromissos internacionais de Portugal, aqueles que se opõem à União Europeia, ao Tratado orçamental - que hoje em dia é uma obrigação do Estado português - venham para o Governo", sublinhou.

O ex-primeiro-ministro alertou que as pessoas começariam a interrogar-se sobre a essência do Governo. "As pessoas começavam a dizer: que governo é este? É um Governo que vai ou não cumprir as suas obrigações? A menos que tenha havido uma conversão súbita de todos aqueles que até ontem eram contra a União Europeia, contra o Tratado Orçamental", argumentou.

Barroso alertou que "Portugal tem obrigações que foram assumidas pelo Estado português e tem de respeitá-las", advertindo que, se isso não acontecer, "haverá custos para o país".

"A questão é saber se aqueles que vierem a estar à frente do Governo têm a credibilidade para manter esses compromissos", sustentou.

O ex-líder social-democrata sustentou ainda que os eleitores socialistas não votaram numa solução de Governo com o Bloco de Esquerda e o PCP.

"Há uma coisa que sei: os eleitores socialistas não votaram no PS para um Governo com o PCP e o BE. Toda a gente sabe que não foi esse o sentido de voto dos eleitores socialistas", argumentou.

  • Chamas passaram por cima da A23
    1:06

    País

    A A23 esteve cortada ao longo do dia por causa do fumo e das chamas. Em direto para a SIC Notícias, perto das 18h30, os repórteres da SIC presenciaram o momento em que o fogo passou por cima da autoestrada da Beira Interior.

  • Várias povoações evacuadas no concelho de Nisa

    País

    Várias povoações do concelho de Nisa, no distrito de Portalegre, foram esta quarta-feira à noite evacuadas, devido à ameaça do incêndio que lavra no concelho, disse à agência Lusa a presidente do município, Idalina Trindade.

  • "Só numa ditadura é possível tentar esconder o número de vítimas"
    0:51

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O primeiro-ministro diz que é "lamentável" a tentativa de aproveitamento político à volta dos incêndios. António Costa esteve esta quarta-feira à tarde na Autoridade Nacional de Proteção Civil e, no final do briefing, disse que é preciso confiança nas instituições do Estado. O primeiro-ministro deixou ainda muitas críticas à oposição no caso da lista de vítimas de Pedrógão Grande.

  • E os 10 mais ricos de Portugal são...

    Economia

    A família Amorim lidera a lista dos mais ricos do país, com uma fortuna avaliada em 3840 milhões de euros. Em segundo lugar surge Alexandre Soares dos Santos com 2532 milhões de euros. A família Guimarães de Mello ainda entra para o top 3, com um valor de 1471 milhões de euros. A lista foi elaborada pela revista EXAME, que conclui que os ricos estão ainda mais ricos, pela quarta vez consecutiva.

    Bárbara Ferreira

  • "Estou grávida! Estou a morrer!"
    1:14