sicnot

Perfil

País

Durão Barroso alerta para custos de Governo do PS com PCP e BE

O ex-presidente da Comissão Europeia Durão Barroso considerou que a entrada do Bloco de Esquerda e do PCP para o Governo "seria negativa" e poderia implicar custos para o país e alertou que os eleitores do PS não votaram para um executivo à esquerda.

NUNO VEIGA/LUSA

Em entrevista publicada na edição de hoje do Diário Económico, Barroso manifestou-se esperançado em que a coligação PSD-CDS/PP e o PS "encontrem pontos para chegar a um acordo", advertindo para a possibilidade da entrada para o governo de partidos que não respeitam os compromissos internacionais de Portugal.

"O que me pareceria negativo, de um ponto de vista económico, até para a imagem do país, é que aqueles que não aceitam os compromissos internacionais de Portugal, aqueles que se opõem à União Europeia, ao Tratado orçamental - que hoje em dia é uma obrigação do Estado português - venham para o Governo", sublinhou.

O ex-primeiro-ministro alertou que as pessoas começariam a interrogar-se sobre a essência do Governo. "As pessoas começavam a dizer: que governo é este? É um Governo que vai ou não cumprir as suas obrigações? A menos que tenha havido uma conversão súbita de todos aqueles que até ontem eram contra a União Europeia, contra o Tratado Orçamental", argumentou.

Barroso alertou que "Portugal tem obrigações que foram assumidas pelo Estado português e tem de respeitá-las", advertindo que, se isso não acontecer, "haverá custos para o país".

"A questão é saber se aqueles que vierem a estar à frente do Governo têm a credibilidade para manter esses compromissos", sustentou.

O ex-líder social-democrata sustentou ainda que os eleitores socialistas não votaram numa solução de Governo com o Bloco de Esquerda e o PCP.

"Há uma coisa que sei: os eleitores socialistas não votaram no PS para um Governo com o PCP e o BE. Toda a gente sabe que não foi esse o sentido de voto dos eleitores socialistas", argumentou.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.