sicnot

Perfil

País

Rui Moreira critica demora na formação do Governo e lembra que pode ser "minoritário"

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, salientou hoje que o país já teve "governos minoritários", tal como está previsto na Constituição, e lamentou a demora para se encontrar uma solução governativa.

"Já tivemos, nesta República, governos minoritários e foram completamente capazes de gerir o país, com menores ou maiores dificuldades. Nós temos uma Constituição que prevê essa circunstância", disse o autarca independente, que falava numa conferência em Lisboa.

Segundo Rui Moreira, "o facto de não haver maioria absoluta não impede soluções de governabilidade".

O autarca manifestou a sua preocupação principalmente com a "agenda externa do país" e afirmou que não acredita que qualquer solução governativa do PS passe, por exemplo, pela saída da NATO.

"Na Grécia houve eleições e, no dia seguinte, tomou posse o primeiro-ministro", apontou Rui Moreira, criticando o escrutínio do atual sistema político, "que parece do século XIX, parece que os votos vêm de carros de cavalos para Lisboa para serem contados".

A demora na formação do Governo "tem um impacto terrível" na debilidade externa do país, nomeadamente em relação aos mercados e ao setor das exportações, frisou o autarca.

O presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques (PSD), por seu lado, referiu que, na relação entre eleitor e eleitos nos municípios, não existe o risco de o candidato derrotado ser presidente da câmara.

"Nas autarquias, quem ganha as eleições tem de formar governo, nem que seja minoritário", afirmou o autarca social-democrata.

Em sua opinião, o país está numa "situação tão complexa e tão difícil que não é momento de brincar com coisas sérias e a coligação que ganhou as eleições deve formar governo".

"Estamos no fio da navalha, estamos a um passinho de podermos andar para trás", alertou Almeida Henriques, que defendeu um entendimento entre os principais partidos sobre as questões fundamentais para o futuro do país.

Os dois autarcas participaram na conferência "A política, os políticos e a gestão dos dinheiros públicos", que hoje decorre, em Lisboa, promovida pela Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC) e pela rádio TSF, na Universidade Católica de Lisboa, com a apresentação do anuário financeiro dos municípios.

O presidente da Câmara de Viseu preconizou o aprofundamento de uma verdadeira "descentralização", para que os municípios possam cumprir melhor o seu serviço às populações.

Rui Moreira reivindicou que os autarcas deixem de ser olhados com desconfiança e criticou que o Governo tenha avançado com a privatização dos transportes sem ouvir a autarquia do Porto, ou com a fusão do setor da água contra os municípios.

O Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2014, coordenado por João Carvalho, presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, traça "a radiografia da saúde financeira" dos 308 municípios portugueses e das empresas municipais, com o apoio da OCC e a colaboração do Tribunal de Contas.

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Desporto

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Desporto

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.

  • Mais cinco ilhas dos Açores sob aviso vermelho

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou esta quarta-feira para vermelho o aviso para as cinco ilhas do grupo central dos Açores, onde no Faial o vento atingiu os 150 quilómetros por hora.

  • Votações sobre o mapa judiciário geram tensão no Parlamento
    2:01

    País

    O momento das votações no Parlamento ficou marcado por alguma tensão. Depois de aprovadas, em comissão, as alterações ao mapa judiciário, o PSD opôs-se a que o diploma fosse votado em plenário, uma vez que não fazia parte da versão inicial do guião de votações. A esquerda acusou os sociais-democratas de terem motivações estritamente políticas e não regimentais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.