sicnot

Perfil

País

Bactéria multirresistente do hospital de Vila Nova de Gaia terá surgido pelo uso de antibióticos

A bactéria multirresistente do hospital de Vila Nova de Gaia terá surgido em consequência do uso de antibióticos, é de rápida disseminação, transmite-se pelo toque, sobrevive na pele e no meio ambiente e desconhece-se a sua durabilidade, explicou fonte hospitalar.

© Ints Kalnins / Reuters

"Não há período de incubação, ninguém sabe ao certo o período que [um paciente] se mantém colonizado [com a bactéria], há quem diga que é toda a vida e há estudos que dizem que é intermitente", explicou à Lusa a coordenadora do Grupo Coordenador Local do Programa de Prevenção e Controlo de Infeção e Resistência aos Antimicrobiano do Centro Hospitalar Gaia/Espinho.

Margarida Mota, responsável pelo controlo do tratamento antimicrobiano dos pacientes portadores da bactéria Klebsiella Pneumoniae do hospital de Gaia, referiu ser por isso mesmo que as recomendações vão no sentido de "perante um doente positivo, o melhor é considerá-lo positivo para o resto da vida".

Os próprios familiares dos doentes portadores que já regressaram a casa receberam recomendações de "lavagem de mãos sempre que contactam com o doente", tal como "o doente tem indicação de lavagem de mãos sempre que vai à casa de banho e sempre que procede à sua higienização".

No centro hospitalar de Gaia foram identificados 30 doentes portadores da bactéria multirresistente, oito dos quais morreram sem que a causa possa ser atribuída diretamente à infeção e nove já tiveram alta.

"Aquela que suspeitamos que tenha sido a origem deste surto foi uma doente que estava internada com uma complicação pós-operatória na cirurgia. E chegámos a esta conclusão porque o primeiro caso era um doente que tinha sido admitido há pouco tempo" e partilhou a mesma unidade de pós-operatório, explicou a responsável.

Perante o quadro, o hospital considera ser muito provável que a bactéria se tenha desenvolvido como "efeito colateral da terapêutica com antibióticos" ministrada à primeira paciente que já estava internada há cerca de 50 dias e que já "tinha feito vários ciclos de antibióticos".

Os dois doentes partilharam a unidade de pós-operatório no dia 29 de julho e o primeiro caso foi notificado a 07 de agosto, mas os restantes contaminados só começaram a ser isolados na última semana de agosto.

"Tivemos que desencadear procedimentos para caracterizar essa bactéria [o] que nos levou algum tempo porque não tínhamos técnicas para efetuar isso. Tivemos que adquirir técnicas e kits para classificar e foi quando verificámos que estávamos perante uma bactéria Klebsiella", referiu.

Foi também no final de agosto que o hospital arrancou com os rastreios e análise do percurso de outros pacientes que começaram a apresentar sinais da "superbactéria", tendo o último doente sido identificado no rastreio efetuado na passada sexta-feira.

Margarida Mota prevê que possam surgir "mais três ou quatro" doentes portadores da bactéria mas salientou que "numa equivalência à gripe podemos dizer que já atingimos o pico na semana passada e esta semana estamos a zero".

Quanto aos 13 doentes ainda internados e portadores da bactéria, a sua saída "depende do quadro clínico, da doença que motivou o seu internamento e das condições sociais em que vivem".

Lusa

  • As crianças e o frio. O que vestir
    1:58

    País

    O médico Pedro Ribeiro da Silva, da Direção-Geral da Saúde, aconselha especial cuidado com as extremidades do corpo - usar luvas e gorros. E demasiado agasalhadas pode levá-as a transpirar mais e, consequentemente, desidratar.

  • Transportes públicos de Cascais vão ficar mais baratos
    2:32

    Economia

    Os transportes públicos de Cascais vão ficar mais baratos já a partir do próximo mês e a poupança nos passes combinados pode chegar até aos 12 euros por mês. Para além disso, foram criados 1280 lugares de estacionamento gratuito junto às estações da CP e Governo reafirma ainda que a linha será alvo de obras de melhoramentos este ano. Em 2016 passaram pela linha de Cascais 25 milhões de passageiros, mais 2,9% que no ano anterior.

  • Os finalistas do Carro do Ano 2017 são...
    0:53

    Economia

    São sete os escolhidos pelos jurados do Carro do Ano, iniciativa do Expresso e da SIC Notícias. À final chegaram o Citroen C3 Pure Tech, o Hyundai IONIQ Hybrid Tech, da Kia o novo modelo Optima Sportwagon 1.7 CRDi GT Line, o Peugeot 3008 Allure 1.6 BlueHdi, o Renault Mégane Sport Tourer Energy dCI, o SEAT Ateca 1.6 TDI CR Style e ainda o Volvo V90.