sicnot

Perfil

País

Chefe da diplomacia angolana confirma contacto de Portugal sobre ativistas detidos

O ministro das Relações Exteriores de Angola confirmou hoje, em Luanda, que foi contactado pelo seu homólogo português sobre a situação dos 15 ativistas detidos desde junho, tendo partilhado a posição de que se trata de um assunto interno.

Em declarações à agência Lusa, Georges Chikoti disse que já falou com Rui Machete sobre o assunto, tendo o mesmo considerado que "Angola está no direito de exercer a sua justiça devidamente".

"De maneiras que o assunto está nas mãos da Justiça e tudo vai correr nos termos da lei", disse o governante angolano.

Segundo o chefe da diplomacia angolana, a Justiça está a aplicar a rigor a lei, até que o assunto seja concluído pelos tribunais.

"Algumas da acusações são graves, então vamos ouvir o que é que o poder judicial vai dizer. Tem que ser os juízes a julgarem o caso e depois ouvirmos o que será a conclusão do processo", frisou.

Em causa está a prisão preventiva aplicada a estes jovens há praticamente quatro meses, quando o crime de que estão acusados formalmente pelo Ministério Público, desde 16 de setembro - atos preparatórios para uma rebelião e um atentado contra o Presidente angolano - admite liberdade condicional, até serem julgados.

Entre os 15 jovens angolanos detidos encontra-se o 'rapper' e ativista Luaty Beirão, que também tem nacionalidade portuguesa, em greve de fome há 25 dias.

Lusa

  • Três letras de Zeca Afonso

    Cultura

    No dia em que se assinalam 30 anos da morte de Zeca Afonso, Raquel Marinho, jornalista da SIC e divulgadora de poesia portuguesa contemporânea, escolhe três letras do cantor e autor para dizer, em forma de homenagem.

    Raquel Marinho

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.