sicnot

Perfil

País

Arrastão submerso na Figueira da Foz poderá ter 25 mil litros de gasóleo

O arrastão naufragado na Figueira da Foz no dia 6 e que se encontra submerso no rio Mondego poderá ter cerca de 25 mil litros de gasóleo nos depósitos, disseram fontes portuária e da autoridade marítima.

PAULO NOVAIS / Lusa

Fonte portuária disse à agência Lusa que, quando naufragou, o Olívia Ribau teria cerca de três mil litros de óleos hidráulicos e 25 mil litros de gasóleo, em depósitos com capacidade máxima de 40 toneladas de combustível, cerca de 40 mil litros.

Já o novo comandante do Porto da Figueira da Foz, Silva Rocha, que hoje assumiu funções, frisou que o navio "terá, no máximo, essa quantidade [25 mil litros de gasóleo]" e que o mestre da embarcação, uma das vítimas mortais do acidente, tinha pedido para o navio ser reabastecido no dia em que veio a naufragar.

No entanto, o comandante do Porto frisou que os mergulhadores da empresa contratada pelo armador para remover o navio selaram os respiradores de bombordo [lado esquerdo] da embarcação, operação que ajuda a conter o combustível nos depósitos e que o arrastão "não tem danos estruturais" o que, à partida, garante que não haverá derrame de gasóleo.

No entanto, Silva Rocha disse que se nas operações de remoção do arrastão para junto do molhe sul do rio, na bacia do Mondego perto da praia do Cabedelinho, que deverão iniciar-se na segunda-feira, for avaliado que existe perigo de derrame, "o combustível terá de ser retirado primeiro".

Caso contrário, o arrastão será removido com o combustível nos depósitos, "tal como está", adiantou.

A empresa contratada pelo armador apresentou, na quinta-feira, o plano de remoção e segurança ambiental, que será agora avaliado tecnicamente e alvo de decisão da Autoridade Marítima durante o fim de semana, para que os trabalhos se possam iniciar na segunda-feira, esclareceu.

Também o administrador do Porto da Figueira da Foz, Luís Leal, garantiu que a empresa AmoraSub "fez a selagem dos respiradores para não haver fugas" e que o plano de remoção "inclui uma componente ambiental" e que será alvo de parecer da administração portuária.

Silva Rocha confirmou ainda que o arrastão Olívia Ribau "está assente no fundo" do rio, invertido, com a ponte de comando na areia e que a operação de reflutuação e remoção deverá ser feita em duas fases: a primeira colocando a ponte em posição lateral à linha de água, rodando a embarcação cerca de 90 graus e depois outros 90 graus para a posição original antes de ser rebocada.

O novo comandante do Porto da Figueira da Foz assumiu hoje funções, após o pedido de exoneração - aceite pela Marinha - do anterior comandante, Paulo Inácio.

No arrastão Olívia Ribau naufragado à entrada do porto da Figueira da Foz, seguiam sete pescadores. Dois foram resgatados com vida, uma hora depois do acidente, por uma moto de água da Polícia Marítima e cinco morreram.

Lusa

  • Tomadas medidas para evitar danos ambientais após acidente na barra da Armona
    1:49

    País

    Quatro tripulantes foram transportados para o hospital com hipotermia, depois de terem caído ao mar. A embarcação onde seguiam, e que faz trabalhos de reposição de areias, virou-se esta manhã, na ilha da Armona, em Olhão. As autoridades vão abrir um inquérito para apurar as causas do acidente e estão a tomar medidas para evitar danos ambientais, visto que a embarcação transportava 12 mil litros de gasóleo.

  • Papa no Chile em ambiente de contestação à Igreja Católica
    3:13

    Mundo

    O Papa pediu hoje perdão pelos crimes de pedofilia cometidos por membros da Igreja Católica no Chile, referindo que sentiu "dor e vergonha" diante do "dano irreparável" causado às crianças vítimas de abuso sexual. Francisco está a cumprir uma deslocação de três dias ao Chile, onde a contestação à visita e à Igreja se faz sentir. O Papa enfrenta um ambiente hostil na sexta viagem à América Latina, devido à denúncia de abusos sexuais na Igreja.

  • Reviravolta na Operação Fizz
    1:09

    País

    O juiz que vai julgar o chamado processo da Operação Fizz decidiu aceitar as denúncias de Orlando Figueira contra o presidente do Banco Atlântico e o advogado Daniel Proença de Carvalho. As acusações do principal arguido contra o banqueiro Carlos Silva e o advogado Proença de Carvalho podem trazer uma reviravolta ao processo.

  • Apoio psicológico fundamental em Vila Nova da Rainha
    2:19
  • Projeto Bairros Sem Cárie levou 300 pessoas do Seixal ao dentista
    3:08

    País

    Portugal tem dos piores indicadores de saúde oral da Europa e ir ao dentista é quase um luxo. Num país assim ganham ainda mais relevância iniciativas como o projeto Bairros Sem Cárie. 300 pessoas de bairros sociais do Seixal tiveram uma consulta de estomatologia gratuita.

  • Homem rompe a garganta ao tentar impedir espirro

    Mundo

    Impedir um espirro apertando o nariz pode causar sérias lesões. Foi o que aconteceu a um homem na Grã-Bretanha que teve de ser hospitalizado porque sofreu uma rutura na garganta ao apertar boca e nariz ao espirrar.