sicnot

Perfil

País

"Tenho esperança que os interesses de Portugal não deixarão de estar presentes nas mentes dos políticos"

"Tenho esperança que os interesses de Portugal não deixarão de estar presentes nas mentes dos políticos"

O Presidente da República diz que está confiante que seja encontrada uma solução política que salvaguarde os interesses de Portugal. Cavaco Silva diz ainda que está a ser feito o que foi previsto mediante a possibilidade de não haver acordos entre os partidos para a formação de um novo governo.

O Presidente da República disse hoje em Albufeira que o atual cenário político era uma das possibilidades que tinha imaginado e manifestou ter "forte esperança" de que vão prevalecer os "superiores interesses de Portugal".

"Nós tínhamos estudado todos os cenários, também este que está a acontecer, por isso não estamos assim tão surpreendidos na medida em que tínhamos imaginado todas as possibilidades", afirmou Aníbal Cavaco Silva aos jornalistas em Albufeira, ao ser questionado sobre as negociações entre os partidos para a formação de um novo Governo.

O chefe de Estado evitou responder às questões dos jornalistas sobre qual seria, para si, o cenário de governo ideal, dizendo apenas que, se respondesse, "podia estar a dar a entender aquilo que pode vir a acontecer", escusando-se igualmente a fazer apreciações sobre o comportamento dos vários partidos.

"Ainda tenho forte esperança de que os superiores interesses de Portugal não deixarão de estar presentes nas mentes de todos os nossos agentes políticos", acrescentou, à margem da sua participação no arranque de um torneio de golfe solidário, cujos fundos angariados revertem para o Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Pediátrico D. Estefânia, em Lisboa.

Nas eleições legislativas de 04 de outubro a coligação PSD/CDS-PP foi a mais votada, mas perdeu a maioria absoluta, seguida do PS, BE, CDU (coligação que junta PCP e PEV) e PAN.

Segundo Cavaco Silva, estão a ser seguidos todos os passos "que mais ou menos tinham ficado delineados caso esta hipótese se verificasse".

O Presidente da República evitou sempre a responder às questões dos jornalistas sobre a situação política, dizendo apenas que, neste momento, não deve fazer declarações "que possam ser interpretadas como apontando nesta ou naquela direção".

Cavaco Silva anunciou na quinta-feira que recebe os partidos políticos que elegeram deputados nas legislativas de 04 de outubro nos próximos dias 20 e 21.

Hoje à noite, o Presidente da República participa no jantar de entrega dos prémios do torneio de Golfe "Portugal Solidário", também em Albufeira.

Lusa

  • O resgate dos passageiros do naufrágio em Cascais
    1:48
  • É importante que "as pessoas não tenham medo" de denunciar o tráfico humano
    0:48

    País

    Manuel Albano, relator nacional para o tráfico de pessoas, concorda com a ideia de que é necessário continuar a investir na inspeção e na fiscalização para travar o tráfico de seres humanos, mas rejeita a denúncia do sindicato dos trabalhadores do SEF, que esta quinta-feira alertou para a "falta de controlo".

  • Trocar a economia pela dança
    7:21
  • Salas de consumo assistido previstas na lei há 17 anos
    3:01
  • O que faz um guaxinim às duas da manhã num quartel de bombeiros?

    Mundo

    Os animais são muitas vezes os protagonistas de histórias incríveis ou até insólitas. Desde o cão mais pequeno ao urso mais assustador. Desta vez, o principal interveniente é um guaxinim, que foi levado até um quartel de bombeiros por uma dona muito preocupada. Porquê? O animal estava sob o efeito de drogas.

    SIC

  • "Por vezes até as princesas da Disney ficam apavoradas"

    Mundo

    A atriz norte-americana Patti Murin foi esta semana elogiada nas redes sociais por se preocupar com a sua saúde mental e não ter problemas em falar sobre o assunto. A artista faltou a um espetáculo da Disney, onde ia atuar, devido a um ataque de ansiedade.

    SIC

  • Presidente do Uganda quer proibir sexo oral

    Mundo

    O Presidente do Uganda emitiu um aviso público durante um conferência de imprensa anunciando que vai banir a prática de sexo oral no país. Yoweri Museveni justifica o ato, explicando que "a boca serve para comer".

    SIC