sicnot

Perfil

País

Marcelo não será presidente de "metade do país contra a outra metade"

Marcelo não será presidente de "metade do país contra a outra metade"

Marcelo Rebelo de Sousa fez o primeiro comício com vista às eleições presidenciais.Foi no mercado Ferreira Borges do Porto e a pensar no atual momento da política portuguesa. O candidato avisa que a corrida a Belém não é a segunda volta das legislativas e que não será presidente de metade do país contra a outra metade.

  • Fim das legislativas clarifica presidenciais
    3:03

    País

    O fim das legislativas abriu o caminho para a clarificação das presidenciais. Desde domingo passado, Marcelo Rebelo de Sousa assumiu a corrida a Belém, Sampaio da Nóvoa fez saber que não vai desistir, o PCP apresentou o seu candidato e Maria de Belém formaliza a candidatura na próxima terça-feira. Há, de momento, 14 nomes que querem ser o próximo inquilino do Palácio de Belém.

  • Marcelo diz que Presidente deve procurar solução duradoura para o país
    1:06

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa diz que Portugal não aguenta ficar vários meses sem Orçamento do Estado e que o Presidente da República deve procurar a solução mais viável e duradoura para o país. O candidato às eleições presidenciais diz que garantir a estabilidade governativa é uma das tarefas que pretende cumprir.

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41