sicnot

Perfil

País

Teste para prever risco de temperaturas baixas vai ser implementado em Lisboa e Porto

Um teste piloto para prever o risco das temperaturas mínimas na mortalidade da população vai ser implementado nos distritos do Porto e de Lisboa, anunciou hoje o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

(Reuters/Arquivo)

(Reuters/Arquivo)

REUTERS

Segundo um comunicado do IPMA, o teste, desenvolvido no âmbito do Projeto Friesa, vai ser implementado em conjunto com o Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge já este inverno.

O teste vai permitir "prever diariamente o risco das temperaturas mínimas na mortalidade da população", com o objetivo de desenvolver um sistema de vigilância capaz de reduzir o risco e o potencial impacto na morte de pessoas, refere o documento.

"Este sistema, uma vez implementado, facultará aos decisores na área da saúde, em especial em Saúde Pública, informação atempada que apoie a preparação e adequação dos níveis e tipos de intervenção em situações de perigosidades associados ao frio com efeitos na saúde", esclarece o comunicado.

Desde 1999 que já existe em português um sistema de monitorização e vigilância das ondas de calor com potencial impacto na mortalidade.

Segundo o relatório do Programa Nacional de Vigilância da Gripe referente à época gripa 2014/2105, a gripe e o tempo frio fizeram no último inverno mais de 5.500 mortes além do que era esperado.

Lusa

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50