sicnot

Perfil

País

"Uma coligação entre PS, BE e PCP seria negativo para todos"

"Uma coligação entre PS, BE e PCP seria negativo para todos"

O presidente do Governo espanhol considerou hoje que uma coligação de esquerda em Portugal, entre o PS, o Bloco de Esquerda e o PCP, "seria negativo para os interesses de todos", e "não respeitaria" a vontade dos portugueses.

"Espero que as coisas [em Portugal] resultem razoavelmente. Seria a primeira vez na história - desde que a democracia regressou a Portugal - que não governaria o partido que ganhou as eleições. Uma coligação entre o Partido Socialista, o Podemos de lá [Portugal] e o Partido Comunista seria muito negativo para os interesses de todos. E sobretudo não respeitaria o que disseram os cidadãos", disse hoje Mariano Rajoy à entrada para o último dia de Congresso do Partido Popular Europeu, a decorrer em Madrid.

Na cimeira da direita europeia - que hoje recebe líderes como a chanceler alemã, Angela Merkel, o antigo presidente francês Nicolas Sarkozy e o ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi - Rajoy recordou as posições contrárias à União Europeia dos dois partidos com os quais o PS está a negociar para formar governo.

"Há partidos que não querem o euro, não querem as regras da União Europeia e batalham sempre contra o que aprovamos na União. Insisto: eu gostaria e espero - isso é que é democrático - que Passos Coelho seja reeleito primeiro-ministro" em Portugal, reiterou o líder do executivo espanhol.

Rajoy enfrenta em dezembro umas eleições gerais em Espanha que podem traçar um cenário semelhante ao que se vive em Portugal: uma vitória sem maioria absoluta do PP (atualmente no poder), abrindo a porta a uma eventual coligação de esquerda entre os socialistas do PSOE, de Pedro Sánchez, e o Podemos, de Pablo Iglesias.

O presidente do governo espanhol destacou a dificuldade do trabalho de Pedro Passos Coelho e o esforço dos portugueses nos últimos quatro anos.

"Ele passou por uma etapa de enorme dificuldade, o povo português fez um grande esforço e agora estão a seguir em frente. Houve um pouco de crescimento económico, também se está a criar emprego e seria uma pena retroceder agora e voltar ao passado", salientou.

Questionado sobre se já falou com Passos Coelho sobre o assunto, Rajoy explicou que tinha marcada para a manhã de hoje uma reunião com o ainda primeiro-ministro português, desmarcada devido à situação política portuguesa.

Também presente no Congresso, o Comissário Europeu para a Investigação, Inovação e Ciência, o português Carlos Moedas, disse que está a seguir com atenção a situação portuguesa e reconheceu que os colegas na Comissão lhe têm feito muitas perguntas sobre a crise política em Portugal.

No entanto, escusou-se a fazer mais comentários sobre a política nacional portuguesa, afirmando que este não é momento para a Comissão Europeia.

"As eleições em Portugal tiveram os resultados que todos conhecemos. Agora é a hora do Presidente da República, a hora dos partidos. Não é a hora da Comissão Europeia", disse Carlos Moedas, acrescentando que "a Comissão Europeia trabalhará sempre com todos os governos democraticamente eleitos".

Lusa

  • As alterações na carta de condução que ajudam a poupar
    6:16
  • Obama diz que não fica em silêncio se os valores do país forem ameaçados
    2:26
  • CIA desvenda segredos de quase 50 anos de História

    Mundo

    A CIA publicou online quase 12 milhões de documentos confidenciais. Basta uma ligação à Internet para navegar por entre 50 anos de relatórios outrora secretos. Entre os milhões de páginas, estão documentos sobre um eventual assassínio de Fidel Castro, detalhes sobre os crimes de guerra nazis, relatórios sobre avistamentos de OVNI e um estudo sobre telepatia denominado "Projeto Star Gate".

  • Nevão provocou corte de energia no centro dos EUA
    1:37

    Mundo

    Uma tempestade de neve no centro dos Estados Unidos da América provocou cortes no abastecimento de eletricidade, atrasos em voos e dificuldades na circulação rodoviária. Em Espanha, a descida das temperaturas levou à emissão de avisos em 30 províncias de norte a sul do país e deixou 27.700 alunos sem aulas em Valência.

  • Cadela sobrevive após engolir faca de cozinha

    Mundo

    Na Escócia, uma história de sobrevivência, no mínimo, bicuda. Uma cadela engoliu uma faca de cozinha com mais de 20 centímetros, manteve-a dentro de si durante algumas semanas mas sobreviveu, depois de ser operada de urgência..