sicnot

Perfil

País

IPMA registou rajada de vento com 169 km/hora no sábado em Portugal

A depressão que atingiu sábado Portugal continental provocou vento forte entre os 90 e os 140 quilómetros/hora, tendo a rajada máxima atingido os 169 quilómetros/hora, informou hoje o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

(Lusa/Arquivo)

(Lusa/Arquivo)

LUSA

"Valores de rajadas superiores a 90 quilómetros/hora ocorreram em vários locais do litoral e nas terras altas, registando-se os valores mais elevados do vento médio e da rajada no litoral oeste a sul do cabo Mondego, em especial entre o Cabo Carvoeiro e o Cabo Raso", refere o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), num comunicado enviado à agência Lusa.

Segundo o IPMA, no período entre as 08:00 e as 15:00, naquela zona do país, a intensidade do vento atingiu "valores excecionalmente elevados, entre 70 e 90 quilómetros/hora e rajadas de 140 quilómetros/hora.

"Valores mais elevados de vento médio e de rajada foram registados na estação do IPMA do Cabo da Roca, onde a rajada máxima atingiu o valor 169 km/h, às 11:30" de sábado, salienta o comunicado.

A depressão provocou também chuva, tendo Elvas e Proença-a-Nova, no sábado, e Coimbra, no domingo, registado valores de precipitação superior a 20mm (20 milímetros por metro quadrado).

"Os valores mais elevados da precipitação acumulada em 24 registaram-se nas Penhas Douradas, com 83 milímetros (mm), e no Fundão, com 64mm, (entre as 13 horas sábado e as 13 horas de domingo) e em Elvas, com 77 mm, entre as 11 horas de sábado e as 17 horas de domingo", acrescenta o IPMA.

O mau tempo que se fez sentir no sábado passado em território continental provocou quedas de árvores, inundações e dois feridos ligeiros.

Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    1:41
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • Corrida à Agência Europeia Medicamento "não é fácil", admite Costa
    0:50

    Brexit

    António Costa confirmou a apresentação da candidatura para a transferência da agência europeia do medicamento de Londres para Portugal. À margem da cimeira extraordinário sobre o Brexit, o primeiro-ministro salientou a importância da instalação do instituto no país para reforçar a competitividade no setor