sicnot

Perfil

País

Nenhum desalojado do incêndio na Ribeira do Porto aceitou alojamento

Nenhum dos moradores da Ribeira do Porto que ficaram desalojados na terça-feira após um incêndio num prédio de quatro andares aceitou ser realojado nos Centros de Alojamento Social do Porto, disse hoje fonte do Instituto da Segurança Social.

Lusa

Lusa

RICARDO CASTELO

Um incêndio deflagrou na terça-feira, pelas 11:53, num edifício de quatro andares da Rua Cimo do Muro, na Ribeira do Porto, na zona histórica da cidade do Porto, tendo feito dez desalojados.

Em declarações à Lusa, via correio eletrónico, o gabinete das relações públicas do Instituto da Segurança Social informou que "nenhuma das pessoas aceitou ser realojada nos Centros de Alojamento Social existentes no Porto", tendo a maior parte dos desalojados sido acolhidos na casa de familiares.

O Instituto da Segurança Social anunciou ainda que está a acompanhar a situação e aguarda "a receção do relatório da Proteção Civil relativa aos condições de habitabilidade do prédio para que possa, ao abrigo do protocolo existente com a Câmara Municipal do Porto, solicitar o alojamento camarário das pessoas afetadas pelo incêndio".

Contactado pela Lusa, o presidente da União das Freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória, António Fonseca, afirmou que pelo menos uma inquilina desalojada "recusou dormir no hotel social da Santa Casa da Misericórdia", tendo preferido dormir na sua viatura.

O presidente da União de Freguesias vai na próxima sexta-feira reunir-se com os cinco agregados familiares desalojados para conhecer de perto em que condições estão os moradores desalojados.

Em declarações à Lusa, o adjunto do presidente da Câmara do Porto, Nuno Santos, afirmou, por seu turno, que a Câmara do Porto, "por interesse público", vai substituir-se aos proprietários do prédio que ardeu esta semana na Ribeira do Porto, património mundial da UNESCO, arranjando as escadas que colapsaram para os moradores regressarem.

A Câmara do Porto vai arranjar "nos próximos dias ou semanas" a escada do prédio da Ribeira, que colapsou na sequência de um incêndio de terça-feira, declarou.

"As obras dentro das habitações é que vão ser da responsabilidade dos senhorios", acrescentou.

Com as escadas arranjadas, o acesso às habitações passa a ser possível e as pessoas podem regressar, explicou Nuno Santos, referindo que apesar do fumo do incêndio ter atingido todo o prédio, apenas o apartamento do primeiro andar é que foi "realmente afetado".

Fonte dos Sapadores de Bombeiros do Porto disse hoje à Lusa que as causas do incêndio no prédio da Ribeira continuam a ser investigadas pela Polícia Judiciária, mas adiantou que uma das hipóteses pode ter sido um curto-circuito no sistema elétrico.

Os bombeiros procederam ao longo de todo o dia de quarta-feira à limpeza da "carga térmica" que ainda estava no prédio, designadamente cobertores, móveis, tecidos, tendo enchido três camiões com material.

Uma das locatárias do prédio afirmou à Lusa, no dia do incêndio, que o fogo poderá ter tido origem na explosão do quadro elétrico do primeiro piso do imóvel.

O combate às chamas foi complicado por causa de os edifícios serem antigos e de difícil acesso e só pelas 14:33 é que entrou na fase de rescaldo.

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagas as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Presidente da Câmara de Nova Iorque confirma "atentado terrorista falhado"
    0:29
  • Israel volta a bombardear posições do Hamas em Gaza

    Mundo

    O exército israelita voltou a bombardear esta segunda-feira posições do movimento Hamas na Faixa de Gaza em resposta ao lançamento de projéteis em direção a Israel pelas milícias palestinianas, informou um comunicado militar.

  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.