sicnot

Perfil

País

Francisco Balsemão lamenta que Soares e Guterres não possam estar mais presentes

Francisco Pinto Balsemão disse estar orgulhoso com o prémio "Mário de Castro Alves", já atribuído a Mário Soares e António Guterres, personalidades que lamenta não poderem estar "tão atuantes" na política portuguesa como deveriam "neste momento difícil".

"Mário Soares e António Guterres, além de amigos, são pessoas que fazem bastante falta e que, infelizmente, não podem estar tão atuantes na cena política portuguesa como deveriam estar neste momento difícil que atravessamos", disse o antigo primeiro-ministro. (Arquivo)

"Mário Soares e António Guterres, além de amigos, são pessoas que fazem bastante falta e que, infelizmente, não podem estar tão atuantes na cena política portuguesa como deveriam estar neste momento difícil que atravessamos", disse o antigo primeiro-ministro. (Arquivo)

© Reuters Photographer / Reuters

"Estou muito orgulhoso por receber este prémio com este nome, mas também orgulhoso e agradecido porque na longa lista de premiados de grande valor [...] estão o embaixador Mário Vilalva e o Dr. Horta e Costa [...] e outras duas pessoas, Mário Soares e António Guterres, que além de amigos, são pessoas que fazem bastante falta e que, infelizmente, não podem estar tão atuantes na cena política portuguesa como deveriam estar neste momento difícil que atravessamos", disse.

O antigo primeiro-ministro, fundador do PSD e atual presidente do grupo de comunicação social Impresa, falava depois de ter hoje recebido o "Prémio Dário de Moreira Castro Alves".

O prémio é promovido pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Brasileira e distingue uma personalidade portuguesa ou brasileira que se tenha destacado por iniciativas desenvolvidas em prol da valorização e integração da comunidade brasileira em Portugal.

Francisco Pinto Balsemão destacou a importância de Dário de Castro Alves, lembrando-o, como fez a sua biografa Kathleen, Gomes, como o mais português dos diplomatas brasileiros.

Questionado à margem sobre a situação política atual do país, Pinto Balsemão nada quis comentar.

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.