sicnot

Perfil

País

Francisco Assis avança com "corrente crítica e alternativa" no PS

Francisco Assis assume uma posição de força e avança com uma "corrente crítica e alternativa" dentro do Partido Socialista.

As declarações de Portas não ficaram sem resposta, com Assis a acusar o presidente do CDS-PP, de "tentar fugir ao debate do presente e do futuro" e a defender que no próximo domingo "também" vai estar em causa a avaliação do atual Governo PSD/CDS-PP.

As declarações de Portas não ficaram sem resposta, com Assis a acusar o presidente do CDS-PP, de "tentar fugir ao debate do presente e do futuro" e a defender que no próximo domingo "também" vai estar em causa a avaliação do atual Governo PSD/CDS-PP.

NUNO VEIGA

A notícia é avançada hoje plo Expresso que cita o próprio eurodeputado. O semanário escreve que Assis vai reunir-se já na próxima semana com militantes de várias zonas do país que discordam do rumo seguido plo atual secretário-geral.

O socialista considera "impensável" e "contranatura" um entendimento entre o PS, o Bloco e o Partido Comunista.


António Costa tem recolhido, nos últimos dias, opiniões e conselhos sobre a formação do novo Governo. Segundo o Expresso, o secretrário-geral do PS não deverá integrar no futuro Executivo nem elementos do Bloco nem do PCP.

  • Polémica "Supernanny" em debate hoje na SIC
    2:25
  • Centeno aponta para a reforma e expansão do euro
    0:32

    Economia

    O ministro das Finanças português participa hoje na primeira reunião enquanto presidente do Eurogrupo. À entrada para o encontro dos ministros das Finanças da moeda única, Mário Centeno apontou a reforma do Euro como um dos principais desafios do mandato que agora inicia. 

  • Puigdemont chegou à Dinamarca e não foi detido

    Mundo

    O Ministério Público espanhol pediu ao tribunal supremo para voltar a emitir um mandado europeu de detenção contra o ex-presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, que se deslocou à Dinamarca para participar numa conferência. O Supremo rejeitou no entanto o pedido. Entretanto na Catalunha, o presidente do parlamento propôs Puigdemont para voltar a dirigir o Governo Regional.

  • O caso Assange é "um problema" para o Equador

    Mundo

    O Presidente equatoriano, Lenin Moreno, declarou no domingo que o asilo atribuído ao fundador do WikiLeaks, Julian Assange, pela embaixada do Equador em Londres desde 2012 é "um problema herdado" que constitui "mais que um aborrecimento".