sicnot

Perfil

País

Grupo acusado de obrigar mulher a prostituir-se julgado à porta fechada no Porto

O julgamento de cinco pessoas acusadas de forçar uma mulher com "dificuldades intelectuais" a prostituir-se e a introduzir droga no Estabelecimento Prisional (EP) do Porto começou esta segunda-feira, à porta fechada, com apenas um suspeito presente.

Os cinco arguidos estão acusados de lenocínio, tráfico de droga agravado e posse de arma ilegal. (Arquivo)

Os cinco arguidos estão acusados de lenocínio, tráfico de droga agravado e posse de arma ilegal. (Arquivo)

Lusa

Segundo uma advogada de defesa à Lusa, o único dos cinco arguidos que compareceu na audiência de julgamento, preso à margem de outro processo, não quis prestar declarações.

Durante quatro anos, entre agosto de 2009 e novembro de 2012, três dos cinco arguidos -- duas mulheres e um homem -- obrigaram uma mulher com "dificuldades intelectuais" a prostituir-se numa pensão do Porto, vigiando-a, fixando os preços que cobrava e ficando com todo o rendimento da atividade, refere a acusação do Ministério Público (MP).

Os suspeitos forçaram a vítima a viver em casa com eles, pondo-a a dormir num quarto que servia de local para alimentar os cães, tendo um colchão sobre um estrado como único mobiliário do espaço.

"Batiam-lhe, ameaçavam-na e injuriavam-na para a diminuir na sua condição de pessoa e a forçarem a cumprir as regras que estabeleciam", salienta.

Além disto, os arguidos, em conjunto com mais dois reclusos do Estabelecimento Prisional do Porto, entre 2011 e 2012, forçaram a mulher a introduzir droga na cadeia que levava na cavidade vaginal.

"Era entregue [droga] a um dos arguidos reclusos nas visitas que lhe programavam, que depois o vendia no EP do Porto aos reclusos, juntamente com outro arguido, repartindo todos os arguidos entre si os lucros desta atividade", frisa a acusação.

Os cinco arguidos estão acusados de lenocínio, tráfico de droga agravado e posse de arma ilegal.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.