sicnot

Perfil

País

Assis reúne-se com apoiantes no sábado mas recusa indisciplina de voto do PS

O eurodeputado socialista Francisco Assis vai reunir-se com militantes do PS no sábado, na Mealhada, Aveiro, mas garantiu que não apelará ao desrespeita da disciplina de voto quando o parlamento votar o programa do Governo.

MARIO CRUZ


"Não vou apelar a que desrespeitem a disciplina de voto porque a disciplina de voto é importante", declarou ao jornal Público, justificando que, caso contrário, "o país entra num quadro de ingovernabilidade".

"Há princípios que têm de ser respeitados", acrescentou.

Na sequência das eleições legislativas de 04 de outubro passado, o PS tem estado em conversações com o Bloco de Esquerda e com o Partido Comunista Português para um apoio parlamentar que permita a formação de um executivo de esquerda alternativo ao da coligação PSD/CDS-PP.

PS, BE e PCP já anunciaram que vão chumbar o programa do Governo PSD/CDS-PP, que será discutido e votado na Assembleia da Repúbblica a 09 e 10 de novembro.

Nas declarações ao Público, Francisco Assis reafirmou a sua oposição à estratégia do secretário-geral socialista, António Costa, de formar um Governo com apoio do BE e PCP, considerando tratar-se de um "erro histórico" que o PS poderá "pagar caro".

"Um Governo do PS apoiado por um partido tão conservador como é o PCP e por um partido tão contraditório como é o Bloco de Esquerda inibe-nos de ter a capacidade de promover as reformas que o país precisa", defendeu.

Francisco Assis reafirmou ainda que o "PS deveria assumir-se como um partido da oposição com sentido de responsabilidade e, a partir da oposição, construir uma alternativa de governação do país", referindo que "é isso que os portugueses esperam do PS neste momento".

"É fundamental que aqueles que neste momento têm uma divergência profunda [relativamente a um Governo do PS apoiado pelo BE e PCP] se encontrem e que digam claramente que nós estamos aqui para dizer que há outro caminho, que há outra via, que temos um entendimento do que deve ser o papel do PS completamente distinto daquele que neste momento parece prevalecer no interior do partido. É só isso e nada mais", acrescentou, sobre o almoço do próximo sábado.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.