sicnot

Perfil

País

BE e ministro Costa Neves falaram de relações institucionais em reunião "sem história"

As relações institucionais com um Governo "a prazo" estiveram hoje em cima da mesa no encontro do Bloco de Esquerda com o ministro dos Assuntos Parlamentares, que o líder da bancada bloquista resumiu como "uma reunião sem grande história".

"Falámos das relações institucionais que existem com um Governo que está a prazo, mas que em todo o caso é aquele que neste momento existe. Mas, não avançámos mais do que isso", afirmou o líder parlamentar do BE, Pedro Filipe Soares, em declarações jornalistas no final do encontro com o novo ministro dos Assuntos Parlamentares, Carlos Costa Neves.

O encontro, que decorreu numa das salas da bancada do BE na Assembleia da República e durou cerca de meia hora, foi resumido por Pedro Filipe Soares como tendo sido "uma reunião sem grande história, a não ser uma repetição de um ato que é normal neste tipo de situações".

"Acedemos ao pedido de reunião que nos foi feito com a disponibilidade institucional que é prevista", acrescentou, insistindo que se trata de "um Governo a prazo" e que o encontro foi apenas "uma ação institucional, sem qualquer consequência do ponto de vista político".

Ainda segundo o líder do grupo parlamentar do BE "não esteve em cima da mesa qualquer tipo de acordo", até porque "não fazia sentido", e a conversa girou toda à volta do tema das relações institucionais.

Pedro Filipe Soares adiantou também que não foi transmitida qualquer indicação sobre a data em que o programa do Governo será entregue na Assembleia da República e que, por agora, o BE está a trabalhar com o prazo adiantado na última conferência de líderes, ou seja, "quinta-feira ao final do dia ou sexta-feira de manhã".

De fora do encontro estiveram igualmente as anunciadas moções de rejeição ao programa do Governo, segundo o líder da bancada do BE.

Questionado sobre as negociações do BE com o PS, Pedro Filipe Soares escusou-se a comentar as notícias que referem que já existe acordo, limitando-se a dizer que "é um processo em curso".

À tarde o ministro dos Assuntos Parlamentares vai reunir-se com os líderes parlamentares da coligação PSD/CDS-PP, com o PS e com o PCP, estando previsto que fale aos jornalistas apenas no final do encontro com a bancada comunista

  • Lei existe há quatro anos mas não tem regulamentação
    2:03
  • Denúncia de maus tratos a cães no canil municipal de Elvas
    2:24

    País

    O Grupo de Intervenção e Resgate Animal denunciou nas redes sociais alegados maus tratos a animais no canil municipal de Elvas. As imagens mostram uma cadela com uma corda ao pescoço. A autarquia abriu um inquérito para averiguar o caso, suspendendo também o trabalho dos voluntários no canil.

  • Há cada vez menos portugueses

    País

    A população em Portugal diminuiu no ano passado, pelo oitavo ano consecutivo, já que o número de mortes continua a ser superior ao de nascimentos, revelam dados hoje divulgados pelo INE.

  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Ovibeja aposta este ano na internacionalização da agricultura
    2:07

    País

    A Ovibeja começou esta quinta-feira e este ano aposta na internacionalização dos produtos agrícolas do Alentejo. Centenas de expositores esgotam o certame, que é uma monstra da agricultura portuguesa. António Costa, na sexta-feira, e Marcelo Rebelo de Sousa, no sábado, são alguns dos políticos com a presença marcada em Beja.

  • Le Pen vai à pesca
    0:35

    Eleições França 2017

    Marine Le Pen, candida à presidência de França fez esta quinta-feira uma "pausa" na campanha eleitoral e aproveitou para ir à pesca. A candidata navegou num barco de pesca no Mediterrâneo.

  • Primeira dama chinesa defende avanços na igualdade

    Mundo

    A primeira dama chinesa, Peng Liyuan, defendeu os avanços da China em matéria de igualdade dos géneros. Uma rara entrevista, difundida numa altura em que feministas chinesas asseguram serem controladas pela polícia face às suas campanhas.