sicnot

Perfil

País

Tiroteio em Loures está a ser investigado pela PJ no local

A Polícia Judiciária encontra-se desde o início da tarde desta terça-feira na urbanização Quinta das Mós, em Loures, a investigar a justificação para um tiroteio que causou ferimentos em duas pessoas, mas as versões são várias.

Os motivos que estiveram na origem dos desacatos ainda não são conhecidos, sendo que alguns moradores, ouvidos pela Lusa, contaram versões diferentes do que se terá passado, mas todos referiram que os suspeitos não vivem na urbanização.

Os motivos que estiveram na origem dos desacatos ainda não são conhecidos, sendo que alguns moradores, ouvidos pela Lusa, contaram versões diferentes do que se terá passado, mas todos referiram que os suspeitos não vivem na urbanização.

SIC

Um tiroteio na urbanização Quinta da Mós, na freguesia de Camarate, Loures, causou hoje ferimentos ligeiros num homem de 18 anos e numa mulher de 30, que foram depois para o Hospital de Loures.

De acordo com o Instituo Nacional de Emergência Médica (INEM), o alerta foi dado às 12:17.

Por volta das 14:00, segundo constatou a agência Lusa no local, encontravam-se no bairro uma carrinha da PSP, uma ambulância dos bombeiros de Camarate e alguns elementos da Polícia Judiciária, que interrogavam moradores do bairro.

A essa altura, o ambiente no bairro estava calmo, mas muitas pessoas encontravam-se junto à entrada dos prédios, a observar e a comentar o aparato policial.

Os motivos que estiveram na origem dos desacatos ainda não são conhecidos, sendo que alguns moradores, ouvidos pela Lusa, contaram versões diferentes do que se terá passado, mas todos referiram que os suspeitos não vivem na urbanização.

Já o comandante dos Bombeiros de Camarate, Luís Martins, referiu que as vítimas ficaram "ambas com ferimentos ligeiros".

No local estiveram duas ambulâncias, dos bombeiros de Camarate e dos Bombeiros de Odivelas, e uma viatura médica do Hospital de Santa Maria.

Lusa

  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.