sicnot

Perfil

País

Tiroteio em Loures está a ser investigado pela PJ no local

A Polícia Judiciária encontra-se desde o início da tarde desta terça-feira na urbanização Quinta das Mós, em Loures, a investigar a justificação para um tiroteio que causou ferimentos em duas pessoas, mas as versões são várias.

Os motivos que estiveram na origem dos desacatos ainda não são conhecidos, sendo que alguns moradores, ouvidos pela Lusa, contaram versões diferentes do que se terá passado, mas todos referiram que os suspeitos não vivem na urbanização.

Os motivos que estiveram na origem dos desacatos ainda não são conhecidos, sendo que alguns moradores, ouvidos pela Lusa, contaram versões diferentes do que se terá passado, mas todos referiram que os suspeitos não vivem na urbanização.

SIC

Um tiroteio na urbanização Quinta da Mós, na freguesia de Camarate, Loures, causou hoje ferimentos ligeiros num homem de 18 anos e numa mulher de 30, que foram depois para o Hospital de Loures.

De acordo com o Instituo Nacional de Emergência Médica (INEM), o alerta foi dado às 12:17.

Por volta das 14:00, segundo constatou a agência Lusa no local, encontravam-se no bairro uma carrinha da PSP, uma ambulância dos bombeiros de Camarate e alguns elementos da Polícia Judiciária, que interrogavam moradores do bairro.

A essa altura, o ambiente no bairro estava calmo, mas muitas pessoas encontravam-se junto à entrada dos prédios, a observar e a comentar o aparato policial.

Os motivos que estiveram na origem dos desacatos ainda não são conhecidos, sendo que alguns moradores, ouvidos pela Lusa, contaram versões diferentes do que se terá passado, mas todos referiram que os suspeitos não vivem na urbanização.

Já o comandante dos Bombeiros de Camarate, Luís Martins, referiu que as vítimas ficaram "ambas com ferimentos ligeiros".

No local estiveram duas ambulâncias, dos bombeiros de Camarate e dos Bombeiros de Odivelas, e uma viatura médica do Hospital de Santa Maria.

Lusa

  • "É preciso despartidarizar o sistema de Proteção Civil", diz Duarte Caldeira
    2:47
  • Homem morreu ao tentar salvar animais das chamas
    2:30
  • Arcebispo de Braga pede responsabilidades pelos incêndios
    1:40

    País

    Braga também sofreu um dos mais violentos incêndios dos últimos anos. O fogo descontrolado atravessou várias freguesias e destruiu duas empresas. A igreja, pela voz do arcebispo de Braga, pede ação e o apuramento de responsabilidades, face a esta calamidade.

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06